‘Ministério da Educação não deveria existir’, diz Olavo de Carvalho

O filósofo e escritor disse, em entrevista exclusiva ao Os Pingos Nos Is, que a pasta ‘tem que ser fechada e só dá prejuízo’

  • Por Jovem Pan
  • 07/07/2020 19h38 - Atualizado em 07/07/2020 20h08
Reprodução/YouTubeMesmo após intimação presencial nos EUA, escritor não apagou mensagens contra o músico

O filósofo e escritor Olavo de Carvalho afirma que o Ministério da Educação (MEC) não deveria existir. A fala aconteceu durante entrevista exclusiva ao Os Pingos Nos Is, da Jovem Pan, nesta terça-feira (7). Na avaliação dele, a pasta custa caro e “só dá prejuízo”. “Eu acho que o MEC não deveria existir, custa caro e não serve pra nada. Afinal, os nossos alunos tiram os últimos lugares nos testes internacionais. Pra quê existe essa instituição? Ela só dá prejuízo. Esse órgão tem que ser  fechado. Do mesmo modo, eles querem ensinar tanta coisa que não conseguem ensinar nada. É preciso simplificar e baratear”, disse.

Olavo ainda relatou ter indicado dois nomes para a pasta da Educação, Ricardo Vélez, que chegou a ocupar o cargo de ministro por três meses e o atual chanceler Ernesto Araújo. “Só indiquei dois ministro porque ele havia me convidado para ser ministro da educação e eu não aceitei. Não estou a fim de aceitar ministério nenhum. Ele não é meu inimigo ao ponto de me convidar para o cargo de ministro”, disse.

O filósofo afirmou que esteve com o presidente Jair Bolsonaro “por quatro vezes” e que acredita em sua honestidade. “Eu gosto dele, o que não quer dizer que não tenho críticas ao governo dele, mas não vou deixar de apoiá-lo. Não vamos conseguir um presidente honesto como ele nos próximos 200 anos”.

Assista à íntegra da entrevista com Olavo de Carvalho: