‘Teatrinho para legitimar o processo’, diz Fiuza sobre convite do TSE para União Europeia monitorar eleição

Organização dos Estados Americanos (OEA) também foi convidada; programa Os Pingos Nos Is comentou

  • Por Jovem Pan
  • 13/04/2022 19h25
Elza Fiúza/ABr urna TSE convidou a União Europeia para ser observadora nas eleições

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) convidou a União Europeia para ser observadora nas eleições deste ano pela primeira vez. Também foram convidadas a Organização dos Estados Americanos (OEA), que monitorou as eleições municipais de 2020, o Parlamento do Mercosul, a Fundação Internacional para Sistemas Eleitorais (IFES) e o Carter Center. Após o pleito de 2020, a OEA apresentou um relatório em que elogiou a atuação da Justiça Eleitoral em meio à pandemia de Covid-19.

O comentarista do programa Os Pingos Nos Is, da Jovem Pan News, Guilherme Fiuza, afirmou que o convite é uma “coreografia” do TSE diante dos questionamentos sobre a legitimidade das urnas eletrônicas. “Está montado esse show, esse teatrinho para legitimar um processo dentro do qual o TSE não quer nem que se abra o sigilo sobre os documentos que estão sendo trocados naquele conselho de aferição da segurança do sistema eleitoral”, disse. “Nós sabemos que todas as perguntas feitas pelo ministro da defesa tiveram respostas blindadas. Não adianta espernear, não adianta chamar o Papa para ver a eleição se o sistema não é auditável”, acrescentou. 

Assista ao programa Os Pingos Nos Is desta quarta-feira, 13: