‘Tenho a sensação de que esse projeto é uma retaliação ao trabalho da Secretaria’, diz Mario Frias sobre Lei Paulo Gustavo

Secretário especial da Cultura falou sobre a proposta em entrevista ao programa ‘Os Pingos Nos Is’; votação do texto foi adiada no Senado

  • Por Jovem Pan
  • 14/09/2021 19h22 - Atualizado em 14/09/2021 19h35
ASCOM/MCTI Mario Frias criticou projeto de lei Paulo Gustavo

O secretário especial da Cultura,  Mario Frias, disse acreditar que o projeto de lei 73/2021, conhecido como Lei Paulo Gustavo, é uma retaliação ao trabalho da pasta. “Tenho a leve sensação que esse projeto de lei é uma retaliação ao nosso trabalho na Secretaria Especial de Cultura“, afirmou o ator em entrevista ao programa “Os Pingos Nos Is“, da Jovem Pan, nesta terça-feira, 14. A proposta prevê que o governo federal repasse mais de R$ 3,8 bilhões a Estados e municípios para apoio ao setor cultural, prejudicado pela pandemia de Covid-19. A votação do projeto estava marcada para esta terça-feira, 14, mas foi adiada pelo Senado mais uma vez.

Frias disse que foi muito criticado, mas que continuará se posicionando contra a proposta, que classificou como “oportunista”. “Quero deixar bem claro que não tenho nada contra o ator, mas a questão é que, na minha opinião, é uma lei oportunista”, afirmou. “Pegar esses 4,3 bilhões e dar na mão de governadores para que eles administrem e decidam o caminho desse recurso me parece extremamente oportunista e irresponsável”, completou. O secretário contou que conversou com o presidente Jair Bolsonaro e com alguns senadores e defendeu que o momento do país não permite “que se faça esse tipo de investimento levianamente”.

Assista a entrevista completa no programa “Os Pingos Nos Is” desta terça-feira, 14: