Exclusivo: advogado de Lula ameaça processar Moro

  • Por Jovem Pan
  • 02/09/2017 12h00
Claudio Tognolli conversou com exclusividade com o advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, nos estúdios da Jovem Pan

Em entrevista exclusiva ao jornalista Claudio Tognolli, da Jovem Pan, o advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Cristiano Zanin Martins, ameaça processar Sérgio Moro pois afirma que o juiz franqueou acesso do filme da Lava Jato a prédios públicos “num filme cujos patrocinadores são desconhecidos”.

“Este filme que está sendo lançado, segundo minha visão, tem uma origem ilícita. Quandou houve a condução coercitiva de Lula, Moro tinha determinado que não houvesse filmagem, mas a Polícia federal fez a filmagem e deu acesso a uma empresa privada para que seus atores pudessem acessar esse conteúdo e até fazer um laboratório dentro da PF.”

“Isso viola a Constituição. Essas imagens não poderiam existir e, existindo, tinham de ser protegidos pelo Estado. Já questionamos – não o filme – mas o franqueamento do material aos organizadores desse filme”, antes de adicionar que Moro sequer “poderia ter ido à estréia do filme”, dizendo que o comportamento do juiz foi “incompatível” com sua posição.

Zanin, que é advogado do ex-presidente Lula desde 2005, disse que depois das acusações a Lula que começou a sofrer em 2016, seu cliente foi vítima clara de uma perseguição política que aumentou gradativamente. O advogado sustenta ainda que o ex-presidente é inocente nos casos do sítio de Atibaia e do tríplex do Guarujá.

“Foram 73 testemunhas ouvidas e nenhuma delas afirmou qualquer fato que pudesse vincular Lula ao apartamento. Ele foi só uma vez ao imóvel para dizer se tinha interesse na compra. jamais dormiu no apartamento, nem passou um dia nem teve as chaves desse imóvel”, disse Zanin, que também declarou que o sítio de Atibaia não configura um crime. “É a mesma históriado triplex”.

“A acusação, pouca gente se lembra, nem é sobre a posse, mas por corrupção passiva, que segundo a lei, pressupõe que alguém realize algum ato de sua competência e receba uma vantagem indevida. No caso dessa ação penal, até Sergio Moro admitiu que não há um ato de ofício [figura que constitui o crime de corrupção], mas atos indeterminados e, juridicamente, isso não se aceita. Isso não é a defesa do Lula quem diz, mas o próprio Moro”.

Zanin afirmou que as decisões ao redor de casos similares aos quais Lula foi condenado são todas favoráveis ao petista. “O tribunal não pode condenar Lula se seguir a própria jurisprudência. Para condenar, terá de declarar que julgará o ex-presidente de um modo diferente de todos os outros”, disse. “mas eu tenho certeza que a Justiça vai seguir a Constituição e a sentença de Moro será revertida”.

Confira aqui a entrevista completa.