Pacientes aguardam mais de 10 horas para serem atendidos no PS de Santos

  • Por Jovem Pan
  • 05/01/2016 15h11
Pronto-socorro Central de Santos

 Ainda eufórico com o sucesso do espetáculo de fogos na virada do ano em Santos, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa tem motivos de sobra para se preocupar e nada a comemorar com os maus serviços prestados no pronto-socorro central da cidade.

Na segunda-feira (04/01) vários pacientes tiveram que esperar 10 horas pelo atendimento. A denúncia foi feita pelo jornal A Tribuna que ouviu o relato de vários pacientes a respeito da dificuldade para conseguir uma consulta. Uma delas que preferiu não se identificar chegou com cólica renal ao PS às 8 da manhã e só foi atendida por volta das 18h. Essa paciente passou pela triagem que é feita pelas enfermeiras, que a mandaram esperar.

Júlio César Lorenzoni saiu de São Vicente, onde não foi atendido no Hospital Municipal sentindo dores ao urinar, mas no pronto-socorro de Santos ficou também aguardando longas horas para ser atendido.

Relatos de maus tratos por parte de atendentes também foram registrados, além da falta de acomodações para o grande número de pacientes que não tinham nem onde sentar. A desculpa da Secretaria Municipal de Saúde é de que o pronto-socorro enfrentou uma demanda muito grande devido ao maior fluxo de turistas na região e dificuldades de atendimento em urgências e emergências nas cidades vizinhas. Essa justificativa deixa claro que a unidade não está equipada adequadamente para atender uma situação como essa, o que deve ser avaliado com urgência por Paulo Alexandre.

Reportagem de Guilherme Amaral