Padilha e Marco Maia cobraram propina em obra no RS, diz delator

  • Por Jovem Pan
  • 18/04/2017 06h40
Brasília - Ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha durante coletiva de imprensa sorbe a previdência social (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)Eliseu Padilha

Esquema de propina acertada no Governo de Fernando Henrique Cardoso só foi paga na gestão do ex-presidente Lula, descreve colaborador da Lato Jato, o executivo Valter Lana.

Atual ministro da Casa Civil e antigo ministro dos Transportes, Eliseu Padilha, o ex-ministro de Dilma, Paulo Bernardo, e o deputado federal Marco Maia, são citados pelo delator da Odebrecht dentro de um esquema de pagamento de propina nas obras da linha 1 da Trensurb, o sistema de trens da Região Metropolitana de Porto Alegre.

O valor do contrato correspondia a mais de R$ 323 milhões.

A licitação da obra da Trensurb foi aberta em 2001, no Governo FHC. As empresas apresentaram propostas em 2002. O Tribunal de Contas da União suspendeu o processo, e só liberou em 2007, o contrato assinado um ano depois.

Segundo os depoimentos, os pedidos por repasses ocorreram em situações diferentes.

*Informações do repórter Felipe Palma