Alexandre Frota explica polêmica com o MBL: “o MBL é meu, mas eu não roubei”

  • Por Jovem Pan
  • 17/11/2017 14h19
Johnny Drum/ Jovem Pan

Sempre envolvido em alguma questão polêmica, Alexandre Frota aproveitou sua participação no Pânico na Rádio desta sexta-feira (17) para explicar o escândalo que levantou com o Movimento Brasil Livre (MBL). O ator registrou a organização em seu nome, mas nega que a tenha “roubado” de Kim Kataguiri.

“Nunca fui ligado ao MBL. Agora o MBL é meu, mas eu não roubei”, afirmou. “O MBL não tinha CNPJ nem nome registrado e fizemos a associação totalmente regularizada e documentada”, falou.

Frota explicou que “o MBL de Kim Kataguiri e Fernando Holiday” surgiu em 2013, mas a organização foi fundada em 2008. “Os empresários que fundaram me convidaram para fazer parte dessa associação e nós tínhamos conhecimento que o MBL não tinha nem CNPJ nem nome regulado”, falou.

“Surgiu essa polêmica que nós estávamos querendo pegar o MBL, mas a verdade é que ele vai retornar para quem é de direito e perdeu por causa de divergências no passado”, disparou.

Nesta semana, Kim Kataguiri esteve no Pânico e comentou sobre a polêmica, dizendo que o que Frota fez não teria resultado e seria como se alguém “registrasse a Coca-Cola”. Frota rebateu: “o MBL estava livre, não se pode comparar porque a Coca não ia dar uma bandeira dessas”.

“Eu não roubei nada, eu legalizei o que estava ilegal”, concluiu.