As mulheres foram privilegiadas, não oprimidas, diz Ana Campagnolo

  • Por Jovem Pan
  • 17/06/2019 14h24
Jovem PanAmanda Bozza e Ana Caroline Campagnolo foram as convidadas do Pânico nesta segunda-feira (17)

Pânico recebeu nesta segunda-feira (17) a deputada estadual de Santa Catarina Ana Caroline Campagnolo (PSL) e a coordenadora de redes sociais da Jovem Pan, Amanda Bozza, para discutir o feminismo.

Formada em história pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó, a parlamentar fez uma análise do feminismo através dos anos e concluiu que as mulheres não foram oprimidas. “O feminismo parte do pressuposto que a mulher é oprimida e o homem privilegiado. Mas as mulheres foram privilegiadas, e não oprimidas”, afirmou.

Ela ainda ressaltou que, historicamente, as mulheres faziam trabalho doméstico e consumiam usando o salário do marido. “É um baita privilégio gastar o salário alheio”, disse. Amanda Bozza, no entanto, não concordou. “O trabalho doméstico também tem valor. O dinheiro é do casal.”

A coordenadora de redes sociais destacou que o feminismo não quer que as mulheres “virem homens”. “Não queremos que mulher seja homem, queremos que tenha condições iguais”, explicou. Ana Campagnolo, por sua vez, disse que as conquistas sociais das mulheres não aconteceram por causa do movimento feminista. “Os direitos civis das mulheres poderiam ser reconhecidos sem o feminismo”, afirmou.

Veja abaixo os melhores momentos do debate: