Batoré revela dica que recebeu de Rodrigo Lombardi para não ser “engolido” na Globo

  • Por Jovem Pan
  • 22/11/2016 14h39
Johnny Drum/ Jovem Pan

Depois de anos se dedicando ao humor, Ivanildo Gomes Nogueira, o Batoré, surpreendeu ao estrelar na novela “Velho Chico” como o carrancudo delegado Queiróz. Em entrevista ao Pânico na Rádio desta terça-feira (22), o humorista contou que quase não aceitou o papel e ainda revelou dica que recebeu do colega de elenco Rodrigo Lombardi quando chegou à Globo.

“O Rodrigo Lombardi disse que eu teria que me impor em algumas coisas, porque apesar da minha história eu tinha muita simplicidade. ‘Se você não se impor os caras vão cagar na sua cabeça’”, contou Batoré sobre o alerta do colega.

Um dos últimos a ser chamado para o elenco de “Velho Chico”, o humorista revelou que quase não aceitou o papel por “respeito à dramaturgia”, mas acabou encarando o desafio e confessou ter ficado surpreso com sua performance. “Não achei que tinha capacidade e fiquei surpreso com o que fiz. Tenho dificuldade em decorar e decorava 40% do texto e improvisava um pouco”, contou.

Durante a entrevista, Batoré também comentou sobre a morte trágica de Domingos Montagner durante a novela. “Nunca vi o PROJAC tão triste como nesse dia”, lembrou. “Qualquer imbecil tem talento, mas ele era um cara generoso e humilde. Quando estávamos no camarim dormindo no sofá ele fazia cafuné para dormirmos”, falou ao confessar que ficou triste com o fim da novela.

Perguntado sobre o desentendimento com Carlos Alberto Nóbrega, Batoré não escondeu que ficou chateado com a demissão do SBT. “Nunca me vi fora da ‘Praça’”, falou. “O programa de fim de ano sem o Batoré me chateava”, confessou ao dizer que o colega o ligou e o elogiou pela novela.  

Com o sucesso do personagem e tomando gosto pela dramaturgia, Batoré afirmou que adorou a experiência e pretende continuar com as novelas.