‘Não estamos dando licença para matar’, diz relator do pacote anticrime

Em entrevista ao Pânico, o deputado federal Capitão Augusto (PL-SP) defendeu o pacote anticrime

  • Por Jovem Pan
  • 09/09/2019 14h15
Jovem PanO deputado federal Capitão Augusto (PL-SP) foi o convidado do Pânico nesta segunda-feira (9)

O deputado federal Capitão Augusto (PL-SP) defendeu, em entrevista ao Pânico, nesta segunda-feira (9), o pacote anticrime apresentado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Ele é o relator do projeto na Câmara dos Deputados.

Para o parlamentar, um dos principais pontos do pacote é a segurança jurídica para a atuação de policiais. “Não estamos dando licença para matar, só estamos dando uma segurança jurídica”, explicou Augusto, citando que agentes de segurança não deveriam ser punidos se matarem bandidos durante ações.

Mesmo sem a aprovação do pacote, o deputado afirmou que o novo Congresso e o governo de Jair Bolsonaro já estão fazendo a criminalidade diminuir com suas ações. “Tivemos um Congresso eleito com essa bandeira do endurecimento da legislação penal, um presidente e um ministro da Justiça que também defendem essa bandeira”, disse. “O marginal é tudo, menos bobo. Ele coloca na balança se compensa ou não o crime.”

Ele acredita que o projeto será facilmente aprovado na Câmara, mas reconhece que há um grande fator político na discussão. “Não podemos negar que é um fator político enorme. É um pacote do governo, do Bolsonaro, do Sergio Moro”, admitiu.

Ainda falando sobre Moro, o Capitão Augusto rechaçou qualquer instabilidade entre o ministro e Bolsonaro. “É intriga da oposição, até pelo contato que tenho com os dois”, explicou. Ele, no entanto, reconheceu que uma possível saída do ex-juiz do governo seria uma derrota. “Uma eventual saída do ministro Sergio Moro vai abalar as estruturas e a governabilidade”, disse.