Carla Vilhena dormia na garagem da Globo por medo de se atrasar para jornal matinal

  • Por Jovem Pan
  • 08/04/2019 14h16
Jovem PanCarla Vilhena foi a convidada do Pânico nesta segunda-feira (8)

Ex-apresentadora do “Bom Dia São Paulo”, Carla Vilhena tinha uma rotina pesada nos três anos que passou ancorando o jornal matinal. A jornalista acordava às 3h para chegar a tempo na Globo. Para não se atrasar, ela chegava a dormir na garagem da emissora. “Já dormi na garagem da Globo com medo de perder o horário. Isso é bem apavorante”, revelou em entrevista ao Pânico nesta segunda-feira (8).

Em seus últimos anos na Globo, a jornalista deixou o comando do “Bom Dia São Paulo” e virou repórter especial do “Fantástico”. Na época, muita gente disse que Carla ficou chateada por não ter tido a oportunidade de se despedir do público, o que ela desmentiu. “As pessoas foram se despedir de mim e eu me emocionei. Admito que chorei, mas não chorei no jornal”, disse, lembrando que a saída aconteceu no dia em que ela completou três anos como âncora do telejornal matinal.

No ano passado, Carla Vilhena resolveu deixar a Globo e trilhar um caminho na internet. Ela tem um site próprio e canais nas redes sociais em que conversa diretamente com seu público. A jornalista não escondeu sua felicidade com a decisão. “Estou fazendo o que realmente gosto”, afirmou.

Ela, no entanto, admitiu que as pessoas e as empresas ainda estão aprendendo a trabalhar com a internet. “A gente está aprendendo fazendo”, disse. A jornalista se mostrou confiante com o desenvolvimento da internet no Brasil. “Eu acredito que a internet vai chegar no nível de evolução que a nossa TV chegou”, projetou.

Jornalismo

Em meio a toda essa mudança, o jornalismo está entre as áreas mais afetadas. “A coisa começou a degringolar quando acabou a obrigatoriedade de ter diploma para trabalhar com jornalismo”, explicou Carla Vilhena. Ela condenou a busca por curtidas e compartilhamentos. “Na faculdade, você tem aula de ética. O jornalismo não é você chegar lá e contar primeiro as coisas”, disse.

Para ela, isso é motivado pelo sistema de remuneração na internet. “O Google remunera por visualização e curtida, isso abre caminho para sites sensacionalistas e fake news, porque quanto mais clique, mais remuneração”, afirmou Carla Vilhena.