Carla Zambelli: ‘Moro queria vaga no STF’

  • Por Jovem Pan
  • 27/04/2020 13h49 - Atualizado em 27/04/2020 14h35
Najara Araújo/Câmara dos DeputadosCarla Zambelli deu entrevista ao Pânico nesta segunda-feira (27)

A deputada federal Carla Zambelli (sem partido-SP) reafirmou, em entrevista ao Pânico nesta segunda-feira (27), que o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro tinha interesse em ser indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Em prints de conversas divulgados pelo ex-juiz federal, a deputada oferece ajuda para indicá-lo à Corte em troca de aceitar a substituição do diretor-geral da Polícia Federal. O cargo, na ocasião, era ocupado por Maurício Valeixo, que foi exonerado pelo presidente Jair Bolsonaro na sexta (24), o que causou a demissão de Moro.

“Ele [Moro] tinha interesse no STF”, disse Carla Zambelli. Segundo a congressista, que era próxima ao ex-ministro, ele sempre desconversava quando o assunto era a Corte. “Tinha dois temas que ele sempre escapava pela tangente: ir ao STF e ser candidato à presidência em 2022”, disse. Apesar disso, ela reforçou que não ofereceu a vaga.

Zambelli explicou que a conversa que teve com Moro foi para “implorar” que ele não saísse do governo. “Não poderíamos ter a saída de outro ministro”, disse, lembrando que o ex-ministro da Saúde Henrique Mandetta havia sido demitido uma semana antes.

A deputada, no entanto, especulou que a intenção de Sergio Moro já era expor o governo e afirmou que o próprio ex-ministro vazou para a imprensa a informação sobre o pedido de demissão. “O print que ele deu foi às 7h33, ele tira print no mesmo momento da conversa. Ele já estava com intenções de criar provas.”

Para Zambelli, a estratégia de Moro de atacar o presidente Jair Bolsonaro pode ter a ver com a intenção do ex-juiz federal de concorrer à presidência nas próximas eleições. “Não existe explicação para o que ele está fazendo”, afirmou.

Apesar de toda a confusão com Sergio Moro, Carla Zambelli disse não ter raiva. “O ministro Moro tem defeitos, mas a história dele não pode ser apagada. O fato dele ter vazado uma conversa comigo e o presidente não o faz bandido”, afirmou. “Ele errou feio, eu estou magoada, mas não tenho raiva”, garantiu a deputada.