Coautor do hit “Vagalumes”, Ivo Mozart conta como teve que bancar a própria música

  • Por Jovem Pan
  • 11/02/2014 14h05
Tati Sisti / Jovem Pan

Quem ouve Vagalumes tocando tanto nas rádios, não imagina que ela foi negada repetidamente por uma gravadora. O cantor e compositor Ivo Mozart mostrou a música para empresários e ouviu que não havia espaço para aquele tipo de som no mercado inúmeras vezes. O jeito foi chamar a banda Pollo e fazer uma parceria. Da noite para o dia, a canção estourou e virou sucesso em todo o país. Foi um ano e ano e meio tentando lançar a música, mas o cantor já estava acostumado aos longos caminhos. “Eles terminaram o rap que eu tinha feito”, contou Ivo durante entrevista ao Programa Pânico. A canção foi lançada pela Pollo e Ivo Mozart entrou como participação especial. “Era o combinado”, explicou. 

Antes de fazer sucesso, Ivo Mozart tocava pelo mundo, nas ruas, passando o inseparável chapéu para pedir dinheiro. “Eu já toquei em mais de vinte países. Barcelona foi o lugar onde eu mais ganhei. Eu ficava lá um tempo, depois viajava e, quando o dinheiro acabava, eu voltava. Também fazia festas nos albergues em que eu me hospedava”, contou. E pra quem é fã, uma dica: ele continua tocando na rua! “Eu marco um evento no Facebook, toco, passo o chapéu e fico hospedado na casa de fãs. Tem umas lindas”, brincou

A temporada na Europa foi muito importante para a carreira e para a vida de Ivo. “Para ir pra lá, eu vendi todas as minhas coisas”, disse. “Eu não falava inglês nem espanhol e comecei a namorar uma tcheca. Nós ficamos juntos por três meses e conversávamos por mímica”. O sobrenome conhecido também fazia sucesso. “Dei muito autógrafo porque as pessoas achavam que eu era parente do Mozart”, disse explicando que, na verdade, essa é uma homenagem dos pais, amantes de música clássica, ao compositor. Coautor do hit “Vagalumes”, Ivo Mozart conta como teve que bancar a própria

Fora ou dentro da música, Ivo leva uma vida que julga “desencanada”Desencanado. Ele contou que gostava de bancar O Impostor, do quadro do Pânico na TV. “Entrava em festa de faculdade, casamento…”. Até no show do Paul McCartney ele entrou de bicão. “Quando cheguei, o garçom me ofereceu champanhe, era o lugar mais vip.”

Ele falou também sobre o CD de oito faixas que ele lançou com ajuda dos amigos. “Tudo o que a gente fez, foi em parceria. A gente fez vídeos relacionados a cada música. Por exemplo, pra música Gratidão, ao invés de chagar e dizer ‘obrigado’, a gente foi lá e pintou a casa de alguém”. Di ferrero, do NxZerom teve grande participação na sua carreira. “Ele é um dos meus melhores amigos”, completou.

Durante o bate-papo ele também falou sobre ficar com fãs, traição e novas parcerias. Confira a íntegra no áudio.