Com música nova na praça, Valesca rejeita rótulo de “cantora de pop”: “sou funkeira”

  • Por Jovem Pan
  • 17/02/2017 14h17
Johnny Drum/ Jovem Pan

A maior “diva que você quer copiar” marcou presença no Pânico na Rádio desta sexta-feira (17). Com sua mais nova música, “Pimenta”, Valesca Popozuda conversou sobre a carreira e os planos daqui pra frente.

Valesca rejeitou o rótulo de “cantora de pop”. “Sou funkeira”, afirmou. “Não sou pop, mas eu circulo em todos os lados. Misturo funk e pop e consigo entrar em vários públicos e ritmos”, falou.

Com sua carreira de 16 anos no funk, que começou com a Gaiola das Popozudas, Valesca avaliou como as mulheres são tratadas hoje no cenário musical e, para ela, houve uma melhora.

“Antigamente os homens lançavam música esculachando a mulher e hoje eles têm consciência de que precisam da gente e a gente vai pra porrada”, brincou. “As coisas estão fluindo melhor”, analisou sobre a presença feminina no funk.

Com as músicas que vão do funk ao pop, Valesca falou sobre seu grande público e a boa relação com os LGBTs. “Eu sempre levantei essa bandeira verdadeiramente. Tem pessoas que fazem por pressão e pra querer ganhar dinheiro com esse público, mas eu sempre levantei essa bandeira”, falou.

Ao lembrar de sua participação no reality “A Fazenda”, a funkeira afirmou que estar na TV diariamente a ajudou a romper preconceitos que as pessoas tinham com sua pessoa. “Achavam que eu ia ser barraqueira porque só conheciam a Valesca do palco e estar no programa abriu um caminho porque as pessoas ficaram surpreendidas”, lembrou.

Com a exposição, ela revelou que ganhou muitos fãs que passaram a gostar dela como pessoa, por sua história e outros que ainda se renderam aos seus funks. “É muito bom ouvir que as pessoas gostam de você pelo que você é e não só pelo que você canta”, falou.