"Sempre gostei de música, na infância ouvia Emílio Santiago e Tim Maia", diz Thiaguinho

  • Por Jovem Pan
  • 16/07/2014 14h14
Nathália Rodrigues/Jovem Pan

O cantor e compositor Thiaguinho, agora também apresentador de um programa musical de rádio, esteve no Pânico para falar da carreira e contou um pouco sobre sua saída do Exaltasamba.

Suas influências musicais vêm de todos os lados. “Visito vários estilos, cada dia a gente recebe influência de artistas e atores e vai se formando. Sempre admirei bastante o pessoal do pagode dos anos 1990 e cresci ouvindo sertanejo em Presidente Prudente”, descreve.  

Thiaguinho conta que desde criança já gostava de música e curtia os mesmos artistas que os pais, como Emílio Santiago e Tim Maia. “Meu pai já achava aquilo estranho, porque eram estilos que criança não gosta”, relembra ele. Aos 12 anos passou a levar a música mais a sério e montou a primeira “dupla sertaneja” com um amigo. Quando aprendeu a tocar cavaquinho já colocou na cabeça que queria ser pagodeiro. “Momento da música nacional é muito bom”, destaca Thiaguinho

Sua mãe, que cuidava do coral da igreja e também canta, o apoiou bastante, mas o pai insistia que ele estudasse a aproveitasse a escola particular que ele teve a oportunidade de frequentar, apesar de os pais não terem condições de pagar. Em 2002, Thiaguinho participou do programa Fama, da Globo, e no ano seguinte já passou a integrar o Exaltasamba, onde ficou até 2012.

Ele substituiu Chrigor no Exaltasamba, que mais tarde admitiu no quadro Arquivo Confidencial do Domingão do Faustão, que sentiu inveja do cantor mais novo. Thiaguinho contou que não se sentiu mal com a afirmação do colega, e sim que achou a manifestação dele bastante autêntica. “Eu conheço mais ele como fã e ele ídolo, eu só vi ele três vezes na vida, mas foi bem bacana. Ele é bem verdadeiro e autêntico. A entrevista dele foi bacana, achei autêntico”.

Segundo ele, o que o motivou a sair do grupo depois de nove anos foi a busca pela independência. “Eu não gosto de me acomodar nos lugares, chegou um ponto que eu achei que devia encarar outro desafio, ter uma independência musical, e achei que naquele momento estava preparado para isso”, explica. A saída do grupo foi tranquila, ocorreu de forma natural, e os integrantes ainda mantêm relação de amizade.

“Eu não consigo fazer muita distinção da carreira solo e em grupo porque a batalha é a mesma. O ponto positivo é ter mais autonomia”, explica ele, que lançou o clipe Caraca, muleke!, em junho de 2014, com a participação do jogador Neymar Jr.

Ele conta que apesar de ser amigo de vários jogadores da seleção brasileira, o assunto da derrota do Brasil no jogo contra a Alemanha tem sido evitado, porque eles estão muito chateados. “É um momento tão delicado na vida deles que é até difícil conversar sobre isso. Desde o início defendi que faltou jogadores no time. Eles estavam com muito medo de perder, e com essa pressão deveria ter alguém com mais experiência”, opina. 

Além da agenda lotada de shows, Thiaguinho arranja tempo para preparar a festa de casamento com a atriz Fernanda Souza. Angélica e Luciano Huck serão os padrinhos na cerimônia que acontece no início de 2015. O cantor, que é amigo de Neymar, convidou o jogador do Barcelona para ser padrinho, porém o jogador não estará no Brasil na data da festa. 

Confira o áudio na íntegra.