Cortella critica Escola sem Partido e nega ‘doutrinação’ da esquerda

  • Por Jovem Pan
  • 16/10/2019 14h39
Jovem PanMário Sergio Cortella foi o convidado do Pânico nesta quarta-feira (16)

Mário Sergio Cortella não acredita no conceito de Escola sem Partido. Segundo ele, apesar de essa ser uma reivindicação válida numa democracia, não há evidências de grupos que partidarizem o ensino público brasileiro.

“A grande marca negativa dessa discussão é que não existe no Brasil nenhum grupo chamado ‘Escola com Partido’. Por isso, quem é o adversário da Escola sem Partido? Qual o grupo que está se contrapondo?”, questionou o filósofo durante entrevista ao Pânico nesta quarta-feira (16).

Cortella ainda rebate o argumento de que a esquerda “doutrinou” os alunos da rede básica nacional nos últimos anos. “Como alguém que forma pessoas voltadas para a esquerda faz com que a grande massa da população eleja alguém conectado e que se diz de direita?”, ponderou.

Sobre a educação básica, o filósofo foi categórico ao afirmar que os investimentos são tão necessários quanto no ensino superior, acrescentando que os recursos não são excludentes.

“Quem imagina que devemos investir a massa do recurso em educação básica e menos na área de pesquisa e pós-graduação, tem que lembrar disso na hora que estiver no hospital sendo atendido por alguém. Pois aquela pessoa que está lá e o tipo de medicamento [que será usado] vem da pesquisa de pós-graduação.”

Analisando desde o governo de Fernando Henrique Cardoso, Cortella disse que os investimentos em educação no país aumentaram nos últimos anos, mas ainda não é possível avaliar o setor no governo Bolsonaro.

“Ainda não dá para avaliar, mas não por ser cedo, e sim porque não há um projeto nítido ainda apresentado. Eu espero que tenha, mas não se sabe o que se fará de fato na área de educação, o que será do fundo de educação básica, (…) como será a formação de professores e a implantação do plano nacional de currículo básico.”