Thaméa Danelon fala em ‘grande retrocesso’ caso STF revogue prisão em 2ª instância

  • Por Jovem Pan
  • 17/10/2019 14h20
Jovem PanThaméa Danelon foi a convidada do Pânico nesta quinta-feira (17)

O Supremo Tribunal Federal (STF) segue com o julgamento sobre a validade da prisão em segunda instância e, para esclarecer o assunto, a procuradora e ex-coordenadora da Lava Jato Thaméa Danelon conversou com a bancada do Pânico nesta quinta-feira (17).

Fazendo um levantamento histórico da prisão em segunda instância, Danelon esclareceu que até 2009 o Supremo entendia o ato como constitucional.

“Em 2009, houve uma mudança do Supremo, que passou a entender que essa prisão não seria constitucional. Até foi um momento em que alguns poderosos começaram a ser presos. Desde então, até 2016, estava vigorando esse entendimento”, esclareceu.

Para ela, ainda é muito recente para o precedente, que tem repercussão geral, ser alterado. “Se o STF  vier a mudar seu entendimento vai ser um grande retrocesso ao combate da corrupção e à impunidade aos grandes crimes”, completou.

Thaméa explicou que pessoas com maiores poderes econômicos e políticos conseguem, de forma legal, procrastinar o processo. “Quanto mais tempo um processo dura, melhor para o réu porque pode acontecer a prescrição.”