“Eu não penso como mulher, penso como homem”, diz Cuca, do “Cuca Atende”

  • Por Jovem Pan
  • 05/11/2015 14h02
Bruna Piva / Jovem Pan<p>Cuca, da página "Cuca Atende!" no Pânico</p>

Nesta quinta-feira (5), quem participou do Pânico foi a Cuca, que diariamente resolve os mais variados dilemas sobre sexo e comportamento em sua página “Cuca Atende!”. Ela, que escreve em várias publicações sobre o assunto, já avisa: “sexo tem que ser gostoso”.

Entretanto, ela revelou que, pelas dúvidas enviadas para a página, sexo ainda é um grande tabu: “nunca sou eu. ‘Eu estou com meu marido’ ou ‘eu estou com a minha namorada’. São sempre as outras pessoas. Eu acho que as pessoas ainda têm muito medo da falar sobre sexo, vergonha”, defende Cuca.

Ainda de acordo com ela, “fazer sexo” e “fazer amor” são duas coisas distintas, ainda que próximas. “Você pode estar em um namoro ou em um casamento e fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Fazer amor tem aquele beijo e carinho que é gostoso”, afirma. “E eu acho que com meu marido eu posso fazer sexo também”.

Nesse sentido, Cuca ainda defende que, mesmo o sexo tendo que ser sempre bom, às vezes um acaba abrindo mão de algo que gosta ou topando uma ideia que não gosta em prol da relação: “A mulher que não gosta de fazer isso e o marido gosta acaba fazendo para agradar o marido. Os gays ensinam a fazer como ninguém. São os melhores a ensinar a fazer sexo anal”.

Então, surgiu o assunto da diferença entre os homens e as mulheres, a colunista disse o que pensa sobre a “guerra dos sexos”, no qual acredita ser manos afetada, pois “não penso como mulher, penso como homem”.  “Eu acho que não tem essa coisa de sempre vai ter essa disputa. Mas uma paz eterna não vai ter nunca”.