“Eu não votaria no PT, apesar de gostar da figura da Dilma”, diz intérprete da Presidente

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2014 14h39
Nathália Rodrigues

Famoso por interpretar Dilma Rousseff na TV e na internet, o humorista Gustavo Mendes esteve no Pânico para revelar mais detalhes sobre o personagem. Ex-Casseta & Planeta, Gustavo participa do programa Agora é Tarde da TV Bandeirantes e faz o espetáculo Mais que Dilmais, todos os domingos em São Paulo. “Eu não me acho parecido com a Dilma, mas o personagem fica tão forte que você assimila. Estava falando com o Celso Portiolli ele me disse que até hoje o chamam de filho do Silvio Santos.”

Gustavo nasceu em Guarani, cidade de Minas Gerais de apenas oito mil habitantes. Mas foi lá que conheceu um dono de uma escola de teatro e se interessou pela arte. Assistir as performances de Tom Cavalcanti e Nelson da Capitinga também influenciaram sua carreira.“Eu não votaria no PT, apesar de gostar da figura da Dilma”, diz intérprete

O medo de receber processo judicial não perturba o humorista. “O Rafinha Bastos está aí, o Pânico está aí. Também não estou na lista negra do PT.” O espetáculo Mais que Dilmais recebe esse nome porque o personagem de Dilma é só um momento do show em um espetáculo que dura uma hora e meia em média. “A Dilma é engraçada durante quinze minutos de show, mais que isso cansa a plateia.”

Sobre a lei federal que restringe sátiras a políticos e que deve começar a pesar na carreira de muitos comediantes em breve, já que 2014 é ano eleitoral, Gustavo disse que vai ter que interromper o personagem de Dilma temporariamente. Caso os meios de comunicação desrespeitem a lei, a multa é de R$ 150 mil ou mais. Segundo o humorista, a TV Bandeirantes está aproveitando até o último minuto antes que as campanhas comecem. Durante a restrição, ele pretende colocar no ar novos personagens. “Na Band, está funcionando assim: vem o produtor e fala ‘Pode fazer por mais uma semana’”, brincou Gustavo. Porém, no show e na internet, ele afirma que continuará interpretando Dilma.

Mesmo sendo reconhecido principalmente por imitar a Presidente, Gustavo disse que ainda não tem em quem votar. “Eu não votaria no PT, apesar de gostar da figura da Dilma. Mas eu não me preocupo se ela vai ganhar ou não as eleições.”

Gustavo também comentou o fato de ter sido vítima de agressão durante uma apresentação. Em um show em Búzios, ele ficou sabendo que as festas tradicionais da cidade tinham acabado porque o Prefeito governava só para os milionários, e um Padre havia interrompido a venda de bebida alcoólica durante as festas, mas voltaram a ser comercializadas posteriormente. O humorista transformou o caso em piada e disparou para os espectadores: “Isso é uma bobagem porque Jesus transformou água em vinho, brinquei e fechei a piada com palavrão. A mãe do prefeito levantou e foi embora, dizendo que era aquilo era um absurdo. Meu empresário apareceu e disse que eu estava correndo risco de vida. Como resultado, apanhei de algumas pessoas lá.”

Neste mês, o cantor vai estar em Palmas, no Tocantins, no dia 27, e em Campinas, em São Paulo, no dia 28.

Serviço
Mais que Dilmais 
Aos domingos às 19h30
Casa Pikadeiro
Tel: (11) 3045-4146 site www.pikadeiro.com.br