"Eu prezo a entrada e a saída de cena para uma próxima personagem", diz Leona Cavalli

  • Por Jovem Pan
  • 17/10/2014 13h41
Nathália Rodrigues/Jovem Pan

Uma das atrizes mais conceituadas da Rede Globo, Leona Cavalli foi destaque na novela Amor à Vida ao interpretar Glauce, uma das médicas do Hospital San Magno que fez loucuras por conta do seu amor por Bruno, vivido por Malvino Salvador.

“Eu não faria nada parecido com isso”, brincou a atriz durante sua participação no Programa Pânico desta sexta-feira (17). Segundo ela, é importante entrar no personagem e saber ‘sair’ do mesmo. “Eu compreendo você entrar e se entregar ao personagem, mas depois deixar ele lá. Eu prezo a entrada e a saída de cena para uma próxima personagem. Nós atores temos uma única matéria prima que é nós mesmos”, contou. Para ela, o ideal é não deixar que o externo comande suas atitudes: “Isso é liberdade”.

Após a trama, Leona se dedica para a peça Frida y Diego que revive o amor conturbado de Frida Kahlo e Diego Rivera, ao mesmo tempo em que influencia o casal influenciava a arte latina na década de 30.“É uma peça maravilhosa porque entra no universo dos dois, as paixões avassaladoras. O grande legado que ela deixou além das artes plásticas é que ela se reinventava, transformava as dores em obras de artes não só além de pinturas, mas ela fazia as roupas delas, os apliques, as decorações da casa dela. Ela era extremamente radiante”.

Leona afirma que possui algumas coisas em comum com Frida. “Frida em alemão significa paz, então temos isso em comum. Ela era mais que uma revolucionaria, ela era uma revolução”.

A trama faz um recorte na vida de Frida e Diego em diversas épocas e, de acordo com a atriz, é uma grande homenagem a ela. “Quando fazemos personagens que já existiram é uma responsabilidade maior. Ela deixou um nível de material que na época era inédito para quem não era atriz de Hollywood. Eu fui direto na vida dela, no que a inspirava”.

Frida continua sendo uma figura atual mesmo depois de tantos anos. Ela estampa bolsas, camisetas e é um ícone dos amantes de artes. Conhecida pela sobrancelha grossa e o bigode, Leona revela: “Ela tentou tirar o bigode uma época e ele [Diego] não queria”.

Frida y Diego
Teatro Raul Cortez
Até 14 de dezembro
Rua Plínio Barreto, 285
Sexta: 21h30; Sáb 21h; Dom: 19h