"Faltam letras bonitas no sertanejo universitário", acreditam Milionário e Marciano

  • Por Jovem Pan
  • 16/06/2016 13h50
Jovem Pan<p>Milionário e Marciano fazem parte da história da música sertaneja</p>

Eles formavam duas duplas de moda de viola muito influentes. Depois da morte de seus parceiros, Milionário e Marciano resolveram se unir para dar sequência à música caipira. No Pânico desta quinta-feira (16), os dois divulgaram seu novo trabalho, o DVD “Lendas”, além de analisarem a nova safra que brilha no sertanejo universitário.

Atualmente, a música caipira mudou completamente. Hits como “É o Amor” e “Nuvem de Lágrimas” abriram espaço para camaros amarelos e lamborghinis. Sobre essa transformação, Marciano acredita que a nova geração “está dando uma modernizada”.

Por outro lado, Milionário afirmou que falta mensagem e conteúdo nas letras. “Os nossos compositores estão morrendo, estão faltando letras bonitas”.

A dupla acredita que o sertanejo alcançou o Brasil, na década de 1980, por causa do drama das músicas. Compositor do hit conhecido na voz de Chitãozinho & Xororó, “Fio de Cabelo”, Marciano explicou que foi a dor dos relacionamentos que fez com que a fama e o sucesso chegassem para as duplas caipiras.

José Rico e João Mineiro

Conhecidos de longa data, ainda na época de João Mineiro & Marciano e José Rico & Milionário, os quatro começaram a carreira juntos, no Paraná, cantando em cima de caminhões.

Mas foi somente após a morte de João Mineiro e José Rico que eles decidiram se unir. Aliás, Milionário ainda sente muita falta de José, que foi seu parceiro durante 45 anos. “O Zé deu um susto na gente. Estávamos num show domingo e ele morreu numa terça. Fiquei sem chão e pensei em parar”, contou.

A ideia do novo projeto veio de Sorocaba, da dupla Fernando e Sorocaba. “Como era um projeto que ele ia administrar, topei na hora”, explicou Marciano.