Felipe Moura Brasil: ‘Os ministros do STF estão numa escalada autoritária absurda’

Em entrevista ao Pânico, Felipe Moura Brasil criticou autoritarismo dos ministros do STF e comentou a patrulha nas redes sociais

  • Por Jovem Pan
  • 12/08/2019 14h32
Jovem PanFelipe Moura Brasil foi o convidado do Pânico nesta segunda-feira (12)

O diretor de jornalismo da Jovem Pan, Felipe Moura Brasil, criticou, em entrevista ao Pânico nesta segunda-feira (12), a conduta de alguns ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) nos últimos anos. “Os ministros do Supremo estão numa escalada autoritária absurda”, afirmou.

Para o âncora do programa Os Pingos nos Is, alguns ministros trabalham contra a Lava Jato. Ele ainda disse que a população deve cobrar a Corte. “Já vale a pena pensar em manifestações”, especulou.

Felipe também criticou o ministro Ricardo Lewandowski, que, segundo a revista Crusoé, fez uma viagem com a mulher para a Europa usando recursos da usina hidrelétrica de Itaipu. “Ele pode viajar, mas com o dinheiro dele”, defendeu, lembrando que Lewandowski e os outros ministros do STF recebem o teto constitucional para servidores públicos: R$ 43 mil.

Patrulha e Bolsonaro

Jornalista e comentarista político, Felipe Moura Brasil afirmou que não se intimida com a patrulha nas redes sociais e é criticado tanto pela esquerda quanto pela direita. “Já fui patrulhado por todos os lados, tem gente que me odeia em todos os lados”, disse. “A partir do momento que você critica alguém a quem a pessoa é aliada, ela te critica”, explicou.

Zelando pela sensatez no debate público, o diretor de jornalismo criticou as pessoas que compram narrativas políticas como se fossem a verdade. “Tudo que vá contra os adversários e a favor dos aliados, essas pessoas tomam como uma verdade absoluta”, afirmou.

O jornalista ainda comemorou o fato de ter conseguido “furar a brecha para trazer vozes discordantes” para o debate, mas alertou que “isso não significa fazer uma militância ao contrário”.

Tanto que ele destacou que critica algumas práticas do presidente Jair Bolsonaro. “Tem um monte de posicionamentos e declarações do Bolsonaro que eu critico há muito tempo”, afirmou, citando a indicação de seu filho, Eduardo Bolsonaro, para a embaixada brasileira nos Estados Unidos. “Eu sempre vou criticar um pai presidente que nomeia o filho.”