"A frieza do Di Ferrero me impressionou", diz Rick Bonadio sobre X Factor Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 21/09/2016 14h20
Johnny Drum/Jovem Pan<p>Di Ferrero, Fernanda Paes Leme, Paulo Miklos, Alinne Rosa e Rick Bonadio estiveram no Pânico</p>

Nas telinhas desde o último dia 29, X Factor Brasil é mais uma aposta da Rede Bandeirantes. Comandado por Fernanda Paes Leme, o reality tem um quarteto de jurados bastante vip: Paulo Miklos, Alinne Rosa, Rick Bonadio e Di Ferrero são os caras que serão responsáveis pelos participantes.

Em entrevista ao Pânico desta quarta-feira (21), o elenco confessou estar impressionado com o envolvimento do público na atração. “Sabe o que eu descobri? Antigamente todo brasileiro era técnico de futebol. Depois, todo brasileiro virou chef de cozinha. Hoje, todo brasileiro é produtor musical, tamanho o envolvimento das pessoas”, disse Rick Bonadio.

Aliás, para Rick, quem surpreendeu foi Di Ferrero. “Estou impressionado com a frieza dele”, contou aos risos.

Ao contrário do que o público imaginava, Ferrero ficou conhecido por ser um dos jurados mais criterioso. O vocalista do NX Zero acredita que seu segredo é a sinceridade. “Ali você tem o critério. E vai ficando cada vez mais difícil, a gente tem que ser justo com tudo mundo. O X Factor não é só a voz, tem todo um lance de emocionar”, afirmou.

Para a ex-global Fernanda Paes Leme, um dos pontos altos da atração é a ausência de jurados rotulados. Nas versões gringas, ficava claro quem era o “mala”, quem era a “boazinha” e assim por diante. A atriz garante que a versão brasileira segue na contramão. “Os jurados não são estereotipados. Isso é bom para o programa”, analisou.

Mercado musical

Com uma vida inteira dedicada à cena musical brasileira, Rick Bonadio ficou conhecido depois de lançar ninguém menos que Mamonas Assassinas.

O produtor acredita que, atualmente, a música do quinteto, por exemplo, seria “quase proibido”. “Eles falavam coisas que hoje não funcionaria. Seriam taxados de preconceituosos. Mas os tempos são outros”.

Ainda segundo Bonadio, “antigamente era bacana ser contra todos os políticos. Hoje, tem cara que defende os próprios políticos. Mudou. Se o cara for muito louco, ele não vai na Globo”.

O comportamento politicamente correto, na opinião de Miklos, nada mais é que um marketing de gravadora. “Acho que os artistas se deram conta disso, só hoje”, disse.