Frota opina sobre condenação de políticos: "sou a favor da pena de morte, prisão perpétua"

  • Por Jovem Pan
  • 17/11/2017 14h07
Johnny Drum/ Jovem Pan

Convidado do Pânico na Rádio desta sexta-feira (17), Alexandre Frota não perdeu a chance de falar sobre seus posicionamentos políticos que são sempre motivos de polêmica na internet. Ao comentar sobre a concessão de habeas corpus a diversos políticos condenados, como Eike Batista e Geddel, Frota defendeu outro tipo de condenação para eles.

“É um absurdo o que o STF vem fazendo, soltando aqueles que deveriam estar presos com habeas corpus o tempo todo”, falou. “Sou a favor da pena de morte, prisão perpétua. Se está preso, está preso. Tem que ficar lá e cumprir. Nosso código penal é retrógrado e nossas leis têm falhas o tempo todo”, disparou.

Ao ser questionado sobre uma possível carreira na política, Frota disse que pretende se lançar politicamente, mas por enquanto está sendo “barrado” pela esposa.

“Eu tenho vontade, mas a minha esposa não quer (…) porque [essa área] é muito confusa, sai morte”, falou. “Agora é a vez dos outsiders”, defendeu.

Processos

No Pânico, Frota ainda falou sobre os processos que está encarando na justiça. Recentemente, ele foi processado por Caetano Veloso, Chico Buarque e Gilberto Gil por conta de uma polêmica envolvendo a Lei Rouanet, do qual é contra.

“Caetano se posicionou contra a minha ida ao MAM dizendo que eu queria censurar e não podia. Ele começou a bater na gente e descobrimos a ‘Playboy’ com a Paula Lavigne em que ela diz que fez sexo com ele aos 13 anos e ele ficou louco com isso”, lembrou.

Com a reportagem, Frota e membros do MBL subiram uma hashtag chamando o cantor de pedófilo. “Caetano abriu processo contra eu e o MBL e [Gilberto] Gil também não gostou porque eu sou contra a Lei Rouanet”, falou.