"Hoje já sobrevivemos das nossas marcas", afirma Mineirinho sobre o skate no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 31/10/2014 13h37
Nathália Rodrigues / Jovem Pan

Hexacampeão mundial no skate, Sandro Dias, mais conhecido como Mineirinho, foi o convidado desta sexta-feira (31) no Pânico na rádio. Quase trinta anos se passaram desde o primeiro contato com o skate, período que rendeu ao esportista grandes títulos, como o X Games, para ele um dos mais importantes que já ganhou.

Depois de viajar o mundo e morar em Los Angeles para ficar mais perto das principais competições mundiais de skate, agora Mineirinho mora no interior de São Paulo, em Bragança Paulista, e se prepara para virar um homem de negócios. “Consegui um espaço em uma pousada e estou montando um centro de esportes radicais. Lá, estou criando várias pistas, espaço para slackline, wakeboard, acampamento de férias. Hoje em dia, os principais eventos no skate estão acontecendo aqui no Brasil, então nem compensa morar fora”, contou o skatista.

Apesar da mudança no quadro social do país, o skate é um esporte que ainda sofre preconceito, mas já foi pior. “A profissão era associada a vagabundos, drogados e meninos de rua porque, às vezes, a prancha escapava e atingia os carros parados nas ruas”, disse Mineirinho.

Além do preconceito, a profissão também é perigosa e Sandro Dias pode falar por experiência própria. “Já torci os dois joelhos de uma vez, quebrei ombro, dedos, machuquei as costelas, mas cirurgia nunca precisei fazer”, revelou.

O surfe é considerado o esporte que influenciou o skate, este último já sendo responsável por movimentar 1 bilhão de reais no Brasil. “Antes o surfe influenciava o skate, hoje é o skate que influencia o surfe”, afirmou Mineirinho. “Eu comecei a surfar muito antes de andar de skate, mas segui o caminho do skate porque era mais acessível.”

Superado parcialmente o preconceito, o skate cresceu graças ao esforço e ao talento dos esportistas. “Hoje temos até um mercado próprio e conseguimos sobreviver das nossas marcas, feito só conseguido pelos Estados Unidos”, afirmou Sandro.