Holiday descarta apoio a Bolsonaro no segundo turno: ‘Abandonou a luta contra a corrupção’

Em entrevista ao Pânico, vereador do Novo analisou a corrida eleitoral pelo governo de São Paulo e pela Presidência da República

  • Por Jovem Pan
  • 21/02/2022 16h19 - Atualizado em 21/02/2022 16h39
Reprodução/Pânico Fernando Holiday no estúdio do programa Pânico Fernando Holiday foi o convidado do programa Pânico desta segunda-feira, 21

Nesta segunda-feira, 21, o programa Pânico recebeu o vereador Fernando Holiday (Novo-SP). Ex-apoiador do presidente Jair Bolsonaro, o parlamentar disse ter dificuldades em apoiar o chefe do Executivo federal em um eventual segundo turno nas eleições de 2022. “Eu não era candidato em 2018 e mesmo assim apoiei o Bolsonaro no primeiro turno. Até 2019, eu diria que votaria nele no segundo turno”, afirmou. “A partir de 2020, aconteceram tantas coisas que eu realmente não consigo declarar o voto no Bolsonaro principalmente por ele ter abandonado a luta contra a corrupção. Muita gente fala da pandemia, mas o que realmente torna muito difícil votar nele no segundo turno foi o abandono do combate à corrupção”, explicou. 

Apesar das críticas à gestão de Bolsonaro, Holiday vê pontos positivos em nomes escalados para os ministérios. “Foi uma decepção muito grande, apesar de reconhecer que ele tem bons ministros, como o Tarcísio Gomes de Freitas e a Tereza Cristina”, aponta. O vereador também analisou a união do Palácio do Planalto com o Centrão. “Não existe hipótese de governar sem aliança com o Centrão, isso é uma ilusão. O erro do Bolsonaro foi ter dito que não faria. Qualquer candidato que diz que não faz aliança com o Centrão é balela. O grande desafio é fazer uma aliança com essa patota de maneira propositiva”, concluiu.

Em São Paulo, Holiday enxerga a experiência do deputado federal Vinicius Poit (Novo-SP) na vida pública e privada como essenciais para a candidatura ao Palácio dos Bandeirantes. “As condições ideais para o governo de São Paulo é um candidato que esteja construindo propostas com pessoas que conheçam o Estado e sejam especialistas”, disse. “Eu não participei da construção da candidatura do Mamãe Falei [deputado estadual Arthur do Val, do Podemos] para o governo do Estado, mas participei da [campanha à] Prefeitura, e tinha certeza que ele estava preparado. Em relação ao Tarcísio, bom… Ele não é de São Paulo. Eu realmente acho que o Vinicius Poit é o melhor candidato”, analisou.

Fernando Holiday ainda opinou sobre os temas abordados no discurso de Sergio Moro, pré-candidato do Podemos à Presidência da República. Para o parlamentar, o ex-juiz não é claro no que diz respeito à Educação e à Saúde no Brasil. “Ele está conversando com a direita, inclusive com a mais conservadora e evangélica, só que acho que ele fala muito pouco sobre os outros problemas do país. Eu vejo uma dificuldade muito grande em ver o que o Moro pensa sobre a educação, sobre a saúde”. 

Confira na íntegra a entrevista com Fernando Holiday: