"Pegar a Bárbara Evans é queima-filme", diz Oliver no Programa Pânico

  • Por Jovem Pan
  • 13/02/2014 13h33
Jovem Pan

Ele é polêmico, fato. Mas Marcos Oliver mudou o seu dia a dia com o passar dos anos. Agora, homem casado e pai de família, Oliver dedica tempo ao seu trabalho como personal e, claro, não deixa de relembrar alguns momentos marcantes de sua vida. Ele é o eterno homem do Teste de Fidelidade e também leva o título de ex-Fazenda, reality show da Record que lhe rendeu o prêmio de terceiro lugar. Em entrevista ao Programa Pânico, nesta quinta-feira (13), o ator desabafou sobre Bárbara Evans e disse que teve “um lance” com a modelo. “Nós demos, sim, uns beijinhos em Campos do Jordão, mas foi só isso”, garantiu. O tom de voz de Oliver não foi nada amistoso enquanto falava sobre ela: “já viu Bárbara Evans falar a verdade sobre alguma coisa?”, perguntou.

“O estado em que ela se encontrava na balada já não era decente”, disse, tentando explicar o motivo de a pegação ter ficado só nos beijos. “Pegar a Bárbara é queima-filme”, continuou. E disparou: “Sei muita coisa dela. Antes de falar meu nome nas entrevistas, ela devia pensar nas consequências.” 

Durante o bate-papo, o ator também falou sobre projetos futuros. No próximo mês ele vai para o Rio de Janeiro tentar papel em uma novela. “Não posso falar muita coisa ainda”, comentou. Atualmente, além de aparições em eventos, ele ganha a vida como personal trainer particular. 

Conhecido pelo quadro Teste de Fidelidade, do programa do João Kléber, Oliver diz já ter sido traído. “Eu deixei minha ex-mulher ir curtir no Clube das Mulheres [na despedida de solteira dela]. No dia do casamento, achei uma camisinha no carro. Mas eu acabei casando. Um tempo depois, eu descobri o camarada do clube que tinha feito. Em três meses a gente já estava separado”, contou. “Pegar a Bárbara Evans é queima-filme”, diz Oliver

Não é segredo para ninguém, ele trabalhou no Clube das Mulheres por longos 12 anos. Quando o assunto foi abordado, falou sobre o preconceito sofrido por atuar na noite como dançarino e também em filmes pornôs. “Eu nunca me prostituí”, afirmou. Oliver diz não ter vergonha dos trabalhos que já fez. Hoje, ele é casado pela segunda vez e tem dois filhos. “E ninguém paga minhas contas”, orgulha-se.

Sobre as suspeitas de armação no Teste de Fidelidade, ele contou que a produção combinava a armadilha com o marido ou namorado que pedia o teste. “Eu enganava o cara. Falava que a mulher não tinha traído, para, na hora, ele ter aquela reação.”

Outro assunto polêmico abordado durante o programa foi o fato dele ter sido o suposto pivô da separação de João Kleber com a mulher. “Foi a mentira que mais me magoou”, afirmou com a voz seguro. Segundo ele, quem saiu com a esposa do ex-patrão foi outro ator do quadro, mas, por ser o mais famoso, acabaram o acusando.

Ele falou também sobre sua participação no reality-show A Fazenda, da Record. Ouça a íntegra no áudio.