Dona do site Meu Patrocínio diz que sugar babies não são prostitutas

Em entrevista ao Pânico, Jennifer Lobo explicou como funciona o site Meu Patrocínio, um dos maiores do universo sugar no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 08/08/2019 14h10
Jovem PanA empresária Jennifer Lobo foi a convidada do Pânico nesta quinta-feira (8)

A empresária Jennifer Lobo, dona do site Meu Patrocínio, afirmou, em entrevista ao Pânico nesta quinta-feira (8), que as mulheres que buscam um sugar daddy na plataforma não são prostitutas.

Segundo Lobo, não é permitido pagar por sexo no site. “Quem quer comprar sexo nem pode ficar no site”, explicou. Ela disse que os sugar daddies são, em sua maioria, homens mais velhos, com boas condições financeiras, que querem curtir a vida com mulheres mais jovens.

Para evitar problemas, todas as pessoas que se cadastram no site passam por uma avaliação e precisam ser aprovadas pela equipe. A avaliação inclui comprovação de renda e patrimônio e checagem de antecedentes criminais.

O Meu Patrocínio é o maior site do ramo e tem 2 milhões de pessoas cadastradas. Jennifer ainda explicou que muitas mulheres mais velhas usam a plataforma para encontrar homens jovens. “São mulheres que já fizeram a vida delas, só querem curtir com alguém. Elas têm a condição financeira de curtir com alguém, só querem alguém mais jovem”, explicou.

A própria Jennifer Lobo se considera uma sugar baby. “Sempre saí com pessoas mais velhas”, contou. “Eu estava morando em Nova York, já tinha meu apartamento quando todo mundo ainda estava na faculdade. Com 21 anos, não tinha nada a ver com meninos de 21 anos”, disse.

A empresária admitiu que ainda há muito preconceito com o universo sugar e culpa o machismo por parte dessa preconceito. “Por que tudo é culpa da mulher? Sempre falam a mulher é interesseira, é prostituta, tudo é culpa dela”, criticou Jennifer Lobo.