Ex-aliado de Bolsonaro, Julian Lemos diz que presidente destrói reputações

Em entrevista ao Pânico, o deputado federal Julian Lemos criticou a saída de Bolsonaro do PSL

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2019 14h17
Jovem PanO deputado federal Julian Lemos (PSL-SP) foi o convidado do Pânico nesta segunda-feira (2)

O deputado federal Julian Lemos (PSL-PB) afirmou, em entrevista ao Pânico, nesta segunda-feira (2), que o presidente Jair Bolsonaro e sua equipe agem para destruir reputações de supostos inimigos.

“Há um trabalho para destruir várias pessoas que eles compreendem como desafetos, destruindo reputações mesmo”, disse Lemos. Ele era um dos aliados mais próximos de Bolsonaro na campanha presidencial do ano passado, mas contou que foi afastado do presidente.

“Após o primeiro turno, eu senti que o clima não estava legal”, disse. O atentado que Bolsonaro sofreu em Juiz de Fora (MG), em setembro do ano passado, piorou as coisas. “Potencializou uma ideia de que há uma conspiração, de que querem matar [Bolsonaro]. Eu senti que existia toda hora ali gente querendo me ferrar”, confessou.

O parlamentar não escondeu a mágoa com o capitão reformado. “Acho o presidente um cara honesto, mas ele tem umas situações de ingratidão que machucam. Ele sai destruindo a reputação, todo mundo vira traidor”, desabafou. “Os deputados do PSL são maltratados. Tem deputado lá que não tem valor de nada.”

Julian Lemos ainda criticou a saída de Jair Bolsonaro do PSL. O presidente tem um novo partido, o Aliança pelo Brasil. “Não tenho motivos para sair do PSL, nem o presidente Bolsonaro tinha”, disse. Ele garantiu que o presidente da sigla, Luciano Bivar, cumpriu todas as promessas feitas ao capitão. “Eu sou testemunha de que Bivar cumpriu tudo.”

O deputado avaliou que os parlamentares do PSL foram tratados como traidores com a saída de Bolsonaro do partido. “O presidente Bolsonaro tinha um respeito absoluto no PSL, mas as pessoas não podem aceitar a imposição para sempre”, explicou.

Ele usou a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) como exemplo de aliada descartada pelo governo. “Quando Bolsonaro era visto como machista, o apoio de uma mulher como Joice era muito importante. Agora, ela é vista como traidora”, lamentou.

Julian Lemos também criticou os filhos do presidente da República, especialmente Carlos e Eduardo Bolsonaro. Ele citou uma passagem em que o deputado federal atacou membros do PSL durante a transição do governo. “O Eduardo é muito orgulhoso e às vezes machuca as pessoas. Eu o vi chamar os deputados do PSL de favelados”, relatou o político.