Kim Kataguiri: ‘Bolsonaro é para a direita o que a Dilma foi para a esquerda’

  • Por Jovem Pan
  • 30/04/2020 13h49
Luis Macedo/Câmara dos DeputadosO deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) participou do Pânico nesta quinta-feira (30)

O deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) criticou, em entrevista ao Pânico nesta quinta-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro. Segundo o parlamentar, Bolsonaro está dando argumentos para as pessoas deixarem de apoiar a direita.

“O Bolsonaro é para a direita o que foi a Dilma para a esquerda”, disse, citando a ex-presidente Dilma Rousseff. O deputado disse que era muito fácil ser contra a esquerda na época em que Dilma era presidente porque os problemas do governo eram muito expostos. Agora, ele acredita que Bolsonaro está fazendo mesmo contra a direita.

Um dos líderes do Movimento Brasil Livre (MBL), Kim Kataguiri condenou o movimento de Bolsonaro de aproximação ao centrão. “O governo deu um cavalo de pau, do nada abriu a porteira ao centrão”, disse, apesar de ser do DEM, um dos partidos próximos ao centrão.

Kim também criticou a postura de Bolsonaro em relação às mortes provocadas pelo novo coronavírus no Brasil. Questionado sobre o assunto nesta semana, o presidente disse que não tinha culpa.

“O cara sequer se solidariza, sequer pede desculpas, sequer fala que errou”, disse o parlamentar. “Antes não reconhecia o problema, agora fala que o problema não é dele”, continuou, lembrando de falas anteriores do presidente. “O Bolsonaro não está vendendo esperança, está falando que o problema não é dele.”

Eleições

Sobre as eleições de 2022, Kim Kataguiri afirmou que não pretende apoiar nenhum dos possíveis candidatos à presidência ventilados atualmente. “Não tenho candidato para 2022, não pretendo apoiar Bolsonaro, [João] Doria ou [Wilson] Witzel“, disse.

Ele também não quer colocar a mão no fogo por Sergio Moro, apesar de acreditar que o ex-ministro deve se candidatar. “A gente não sabe o que Moro pensa sobre economia, Previdência, saúde. Foi bom juiz, mas não significa que vai ser um bom presidente da República.”