Leo Fraiman sobre filhos: ‘Amor demais gera folgado, firmeza demais gera medroso’

  • Por Jovem Pan
  • 26/03/2019 14h17
Jovem PanLeo Fraiman foi o convidado do Pânico nesta terça-feira (26)

O psicoterapeuta Leo Fraiman foi o convidado do Pânico nesta terça-feira (26) e falou sobre sua visão da educação de crianças e adolescentes. Para ele, os pais devem dosar o amor e a firmeza com os filhos. “Amor demais gera folgado, firmeza demais gera medroso”, resumiu.

O especialista afirmou que pais que mimam muito seus filhos são, na verdade, narcisistas. “O pai e a mãe não querem fazer o filho feliz, isso é narcisismo”, disse Fraiman. Isso é especialmente perigoso no mundo moderno, em que as pessoas têm que lutar pelo que querem. “Se essa criança não se tornar gente, ela vai ser dispensável.”

Leo Fraiman explicou que a melhor coisa é quando o filho “mata” simbolicamente os pais. “Simbolicamente, matar os pais significa a gente perceber que não precisa deles”, contextualizou.

Ele ainda apontou como um erro os pais sempre resolverem as dificuldades dos filhos e não darem chance para que eles próprios lidem com seus problemas. “A criança tem um estressor, o pai e a mãe resolvem para ela e a criança fica feliz. Uma hora, eles não conseguem resolver, ela fica irritada e tenta atacar o estressor, se revolta”, explicou. “Se você viciou a cuidar de fora para dentro, a criança não tem resiliência e fica fraca. Aquela criança fofa e carinhosa vira um ser desagradável”, disse o especialista.

O psicoterapeuta reconheceu as dificuldades de educar um filho hoje em dia, mas alertou que não o fazer é pior ainda. “O filho submisso comprado com um iPhone dá menos trabalho. Dá muito trabalho educar, mas não educar dá mais”, afirmou.