Luciano Huck diz que negacionismo no combate ao coronavírus é ‘inaceitável’

  • Por Jovem Pan
  • 22/04/2020 13h52
Reprodução/TV GloboLuciano Huck participou do Pânico nesta quarta-feira (22)

O apresentador Luciano Huck definiu como “inaceitável” o negacionismo no combate ao novo coronavírus. Em entrevista ao Pânico nesta quarta-feira (22), ele criticou líderes mundiais que renegaram a ciência durante a pandemia, incluindo o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

“O Trump renegou um pouco a ciência. Coisas inaceitáveis que aconteceram ao redor do planeta”, disse, em referência aos líderes negacionistas. Huck ainda afirmou que o ex-presidente americano Barack Obama deixou pronto um plano de combate a uma possível pandemia, mas que Trump não seguiu as orientações.

Para ele, os líderes negacionistas foram uma consequência da polarização mundial dos últimos anos. “O mundo vinha num discurso muito polarizado, sectário, nós contra eles, quem pensa diferente é inimigo. Isso gerou lideranças no mundo mais autoritárias, terraplanistas, xenófobas, que foram super negacionistas nesse momento de pandemia”, argumentou.

Luciano Huck ainda ressaltou que tem muita gente sofrendo no Brasil não só pela doença em si, mas por todos os efeitos da pandemia e da quarentena, especialmente econômicos. “Tem muita gente sofrendo no mundo inteiro e no Brasil. A pobreza bateu na porta de muita gente que imaginava que a pobreza estava longe”, lamentou. Ele advertiu que a solução do problema não será individual e “uma marolinha na sua casa pode ser uma tsunami na casa do vizinho”.

Mesmo pregando que as pessoas têm que ter fé numa saída para a crise, Huck disse que o povo não pode se enganar achando que o coronavírus terá uma solução mágica. “Vai ser uma vida diferente [após a pandemia] e não adianta se enganar, não vai ter uma intervenção divina que vai resolver o problema em uma semana”, admitiu.

O empresário também apontou que esta não é a hora para disputas políticas e que a crise pode unir as pessoas. “Trazer para este momento do Brasil qualquer discurso ou debate político é perda de tempo. Temos que estar juntos, se não as pessoas vão sofrer muito.”

Solidariedade

Apesar de reconhecer que o momento é terrível, Luciano Huck acredita que a pandemia aflorou o melhor na sociedade. “Dá uma olhada no que aconteceu no Brasil em 4 semanas. A sociedade civil entendeu que o governo não ia conseguir se organizar a tempo e ajudou. A gente tem força, não pode se acomodar. Quando a sociedade civil quer se organizar, tem essa força, e quero fazer parte dessa força”, disse.

O apresentador contou que está ligando para todas as organizações sociais que participaram do “Caldeirão do Huck” para fazer doações pontuais. “A solidariedade foi mais contagiosa que o vírus. Muita coisa ainda vai acontecer e a gente tem que estar mais unido do que nunca. Vai passar, mas não vai ser fácil.”