Marcela Pignatari conta ritual para fazer ensaio nu para a Playboy: “tomei água com limão”

  • Por Jovem Pan
  • 11/11/2014 13h18
Juliana Blume / Jovem Pan

Nesta terça-feira (11), Marcela Pignatari visitou o programa pânico. Capa da revista Playboy de novembro, a atriz, produtora e empresária falou sobre o preconceito que sofre no ramo por ser loira.

“Aqui no Brasil tem algum preconceito, a loira geralmente é a gostosa, a maria-chuteira, a garota de programa, falaram para eu pintar o cabelo de castanho”, explicou.

Com tema praiano, o ensaio demorou para sair do papel: “o convite surgiu com várias histórias, falei quero falar de mim, da minha carreira, sou uma atriz que está começando agora. Aí surgiu essa meio Califórnia”.

“Pude escolher as fotos, gosto de participar dos meus trabalhos, estou muito feliz com o resultado”, completou. “Tomei água com limão para ficar sequinha durante os cliques”, contou.

Com contrato fechado em outubro do ano passado, ela chegou a recusar ser a “musa da Copa” em junho deste ano. “eu não gosto de futebol. Não quero ser confundida, ainda mais começando agora”.

Desde que se formou, em 2009, Marcela decidiu incorporar experiência em seu currículo: “fiz ‘O Negócio’, da HBO, e a ‘Copa do Caos’, agora produzo um espetáculo. Estou a três anos me dividindo no trabalho de produção de uma peça. A profissão é muito em longo prazo. Estou muito contente com as portas que estão se abrindo”.