‘Melhor ser um gordinho ativo do que um magro sedentário’, diz Marcio Atalla

Em entrevista ao Pânico, Marcio Atalla explicou que a atividade física é fundamental

  • Por Jovem Pan
  • 05/12/2019 13h52
Jovem PanMarcio Atalla foi o convidado do Pânico nesta quinta-feira (5)

O professor de educação física Marcio Atalla afirmou, em entrevista ao Pânico, nesta quinta-feira (5), que o peso não é necessariamente relacionado a qualidade de vida e pessoas mais gordas não são sempre menos saudáveis que as mais magras.

“É muito melhor ser um gordinho ativo do que um magro sedentário”, disse Atalla. Ele explicou que ter uma alimentação saudável é muito importante, mas apontou que a atividade física é fundamental. “A chance de desenvolver uma doença crônica nos próximos 10 anos é 50% maior no grupo de magros sedentários”, disse.

O especialista também comentou sobre o consumo de açúcar e disse que sobretaxar produtos que levam o ingrediente não é a melhor estratégia. “Os países que sobretaxam o açúcar não conseguiram o controle da obesidade porque tem outros fatores”, explicou. “Quando você tira o açúcar, substitui por outros alimentos.”

Ele acredita que a solução vai por outro caminho. “Em vez de sobretaxar [o açúcar], sou mais a favor de baratear alimentos saudáveis que hoje são muito caros”, afirmou.

Qualidade de vida

Ainda na entrevista, Marcio Atalla falou sobre a expectativa de vida. Apesar das pessoas estarem vivendo mais, ele apontou que o quadro deve mudar em breve. “Países extremamente desenvolvidos atingiram 86 anos de expectativa de vida, mas agora começam a ter um declínio por conta do estilo de vida”, disse.

“O ponto não é viver mais, é viver com qualidade de vida esses últimos anos de vida”, continuou o nutricionista. Para isso, ele defende que a saúde pública entre em jogo e premie pessoas que cuidam de si próprios. “O programa de saúde pública tem que ter premiação, sem premiação é muito difícil que a pessoa se engaje num primeiro momento”, afirmou Marcio Atalla.