Michel Teló diz que Iza é a queridinha dos candidatos do ‘The Voice’: ‘Se ela virou a cadeira, esquece’

Michel Teló contou que os candidatos do ‘The Voice Brasil’ preferiam escolher Iza aos outros jurados na nova temporada do programa

  • Por Jovem Pan
  • 24/07/2019 13h38
Jovem PanMichel Teló foi o convidado do Pânico nesta quarta-feira (24)

O cantor Michel Teló reconheceu que foi difícil competir com Iza na nova temporada do “The Voice Brasil“, que já teve a primeira parte gravada. Em entrevista ao Pânico nesta quarta-feira (24), ele afirmou que a popstar virou a queridinha dos candidatos.

“A Iza virou a cadeira, pode esquecer que ela vai levar”, disse Teló. Para o artista, no entanto, isso tem a ver com o fato da cantora ser novata no programa. Ela estreia como técnica na atração da Globo nesta temporada. “Quando eu cheguei, eu virava a cadeira e todo mundo me escolhia. No outro ano, todo mundo escolhia a Claudia [Leitte]. No outro, entrou a Ivete [Sangalo] e só iam para a Ivete”, contou.

Apesar disso, Teló é o maior vencedor do “The Voice”, com quatro títulos. Desde que ele entrou na atração, em 2015, todos os campeões faziam parte do time dele. O cantor admitiu que existe uma competição entre os técnicos. “Nós queremos pegar o melhor time, os melhores candidatos”, disse. “Mas tem um respeito e um carinho muito grande [entre os jurados]”, ressaltou.

“Juntos e shallow now”

Dono de uma série de hits da música sertaneja nos últimos 10 anos, Michel Teló acredita que o gênero é o mais popular do Brasil. “O sertanejo é a música popular brasileira também”, afirmou.

Teló ainda saiu em defesa de uma das músicas mais controversas do ano: “Juntos”, o cover de “Shallow” feito por Paula Fernandes e Luan Santana. Para o cantor, a versão brasileira da faixa de Lady Gaga e Bradley Cooper ficou muito boa.

“A ideia foi legal para caramba, eu gostei. Achei ousada a ideia do ‘juntos e shallow now'”, exaltou. “A Paula é uma excelente cantora, canta muito e compõe muito, o Luan é talentoso demais”, continuou. “Eu acho legal a música e deu uma mídia espontânea.”