Nany People fala sobre a vida pós-Fazenda: “passaram a me ver como pessoa”

  • Por Jovem Pan
  • 12/03/2014 14h09
Jovem Pan

Em 2010, a TV Record exibiu a terceira edição do reality A Fazenda. No programa, uma das participantes mais marcantes foi a transformista Nany People, que, mesmo sendo eliminada logo no início, deu o que falar tanto pelo seu jeito extravagante como pelas discussões ácidas que teve com alguns companheiros. Agora, mais de três anos depois, ela acredita que a competição trouxe muitas coisas boas à sua vida.

“Lá eu me despi de vaidade. Acordando, parecia um zebu. Durante o dia, ficava correndo atrás de porquinho, cortando lenha. Por isso, as pessoas me viram acima do personagem rosa, do Ronald McDonald. Mostrei meu caráter, meu conceitos, meus preconceitos. Isso mudou o perfil que a sociedade tinha de mim. Passaram a me ver como pessoa”, disse.

Nascida Jorge Demétrio Cunha Santos, Nany assumiu a “personagem” a que se referiu bastante cedo. Ainda com 20 e poucos anos, começou a tomar hormônios femininos e a se vestir como mulher. As cirurgias de implantes e reparações, porém, só vieram mais tarde, graças a uma saia-justa que passou em um antigo relacionamento.

“Conheci um cara que me mudou. Comecei um romance com ele, ele começou a ir casa sempre. E eu sempre me instalava toda para esperá-lo. Até que um dia Nany People fala de transformação: – “até virar Trans assumida foram 38 anele chegou sem avisar, e o porteiro o deixou subir. Quando abri a porta ele disse: ‘por favor, a Nany está?’. Falei: ‘ops’. Ele quebrou azulejo com soco na parede para não quebrar minha cara de tão nervoso. Me deu um sermão… Na verdade, fez um favor para mim. Disse que eu estava negando minha natureza, que era uma mulher incrível e não precisava fazer aquilo. Aí fiz o puxadinho virar mansão. Coloquei peitinho, quadril ficou pequeno. Coloquei quadril, tive que mudar outra coisa. Agora é assim. Sempre em reforma”, contou.

Mesmo assim, ela se nega a fazer operação de mudança de sexo. Não só por um pedido pessoal de sua mãe, mas também por questionar diversos aspectos do procedimento.

“O problema da cirurgia é que ninguém fala o que acontece depois. É igual silicone, ninguém te fala que seu peito vai ficar gelado quando fizer frio, por exemplo. E também falam como se a mudança fosse o ato fundador da transformação. Não é! A pessoa não vira outra coisa, só passa a ser o que já era com uma pequena adaptação. Não se fala também das atrocidades que se faz em relação a isso, das cirurgias que dão errado. Tem gente que sai urinando pelo ânus! Elogiam que o SUS a está fazendo, mas não explicam as condições”, declarou.

Por fim, ao comentar seus casos amorosos, a convidada da bancada não fez questão nenhuma de esconder a fama de “namoradeira” que tem. Muito pelo contrário – assumiu que é mesmo e que tem orgulho disso. Por mais curioso que seja, no entanto, revelou que está à procura de um marido para ficar mais sossegada. E seu alvo principal continua sendo os meninos mais jovens.

“A Madonna foi no Jesus [Luz], eu vou nos querubins. O que já paguei de carta de autoescola…”, brincou. 

Confira a íntegra no áudio.