“Não ganhamos mais Copas por falta de preparação emocional”, diz o técnico Estevam Soares

  • Por Jovem Pan
  • 04/07/2014 14h07
Jovem Pan

O técnico do Centro Sportivo Alagoano, Estevam Soares, já passou por times como Botafogo, Coritiba e São Bernardo, e esteve no Pânico para falar sobre a seleção brasileira nesta Copa do Mundo. Ele comentou as falhas do Brasil nos primeiros quatro jogos do e a imagem de seleção destruidora que se criou em torno da Colômbia.

“Cada jogo é um jogo, cada partida é diferente. Eu espero que o Brasil não vá cometer os mesmos erros que cometeu nos últimos quatro jogos. Nossa comissão técnica precisa trabalhar um pouco mais”.  Ele sente falta de um plano B por parte de Felipão, principalmente no jogo contra o México, quando Hulk ficou fora da partida por causa de uma lesão na perna. “Ele poderia ter feito uma formação diferente, com dois meias. Poderia descansar o Hulk na área e ter colocado o William. A grande sacada do treinador é ter essa leitura do jogo”, resume ele.Não ganhamos mais copas por falta de preparação emocional”, diz o técnico E

Se pudesse fazer a própria convocação, Estevam não mudaria muita coisa, mas tiraria um volante e levaria mais um meia. “O volante é aquele que joga de frente, e o meia joga de costas, gira em cima da bola, como o Oscar e o William. Poderia ter levado até o KaKá ou Ronaldinho Gaúcho. Eu tiraria o Fred e levaria o William, para dar mais posse de bola”, argumenta. Mas ele também brinca que na Copa todo mundo vira treinador, todo mundo entende de futebol. “O treinador não pode errar. Como dizem em Portugal, se o treinador ou é besta ou é bestial. Se acerta, é bestial, se erra, é besta”.

Segundo ele, esta é uma Copa de emoção, mas a partir das quartas de final não deve haver tanta pancadaria nos jogos. “São equipes mais ou menos do mesmo nível. Nas quartas de final são times mais qualificados. Agora pode começar a aparecer mais Neymars, di Marías e Messis”.

Em relação aos pênaltis, tão polêmicos nesta Copa, ele não acredita que seja loteria. “Dizer isso é um baita de um chavão ruim. O cara que sabe bater pênalti tem que ter frieza, tem que saber encarar o goleiro, e na hora H tem que inverter o canto, mudar o pé. Isso envolve o lado emocional”, diz ele, que acredita que a única razão para o Brasil não ter mais vitórias no mundial é a má preparação psicológica.

“Das 19 edições, nós temos apenas cinco Copas. Temos muito pouco. Nós somos os reis do futebol, tínhamos que ter umas dez. Isso não vem da parte técnica, mas sim da má preparação dos jogadores na parte emocional. Nossos treinadores e dirigentes são baba ovos dos jogadores”, afirma o técnico.

  Acompanhe na íntegra o áudio.