“Não tenho saudades de apresentar o CQC”, admite Marcelo Tas

  • Por Jovem Pan
  • 24/11/2016 14h32
Johnny Drum/ Jovem Pan

Sempre mergulhando em todos os assuntos, Marcelo Tas se prepara para lançar um acervo de Ernesto Varela, seu primeiro personagem da TV. Em entrevista ao Pânico na Rádio nesta quinta-feira (24), o apresentador lembrou de sua carreira e da passagem pela bancada do CQC, da qual fez parte por 6 anos.

Perguntado se tem saudades da bancada do programa, Tas foi sincero: “tenho o maior carinho, sempre amei fazer o CQC, mas não tenho nenhuma nostalgia nem saudades de voltar”. Fazendo um balanço da atração, ele comentou: “teve um papel importante com o público jovem que estava de saco cheio dos políticos e voltou a se interessar por política e noticiário”.

Ainda sobre o CQC, Tas lembrou da saída de Monica Iozzi da atração, que deixou o programa em direção à Globo, e afirmou que não ficou chateado com a decisão dela. “A Monica é uma das figuras mais talentosas que conheço, e teve esse ruidinho quando saiu, mas ela arrasa”, declarou. 

Ao longo dos anos de carreira, Tas contou momentos em que encarou censura e repreensão, principalmente no fim da Ditadura Militar, quando gravava como o personagem Ernesto Varela. “Tem um vídeo que vamos publicar [no acervo] em que chegamos em Brasília, descemos do avião e a pista estava tomada por militares. Começamos a gravar e na hora que desligamos a câmera fomos levados pra uma sala, esculachados, quiseram apagar a fita e fingimos que apagamos, mas na verdade filmamos a cara deles”, contou.

“Hoje é legal contar isso, mas era um momento muito triste. Dá medo quando você perde o controle do que pode acontecer com você… corremos alguns riscos”, falou ao ressaltar a importância da liberdade de expressão que, muitas vezes, não é valorizada. “Prefiro ter ‘haters’ a lidar com a censura”, disparou.

Há mais de dois anos trabalhando no projeto “Varela Upload”, que vai reunir todos os vídeos e registros do personagem que conseguiu entrevistas inusitadas, Tas falou sobre a iniciativa. “Ele é o youtuber a lenha”, brincou. “Juntamos as fitas e muitas coisas que encontrei, como caderninho de roteiros e perguntas para os políticos. Transformamos o Varela em algo que poderemos publicar no YouTube”, contou.

O primeiro vídeo do personagem foi disponibilizado nesta quarta-feira (24) no site ernestovarela.com.br e a partir de 30 de novembro, serão publicados dois vídeos por semana até dia 06 de dezembro, quando acontece um debate, no Itaú Cultural, com presença de Casagrande, Demétrio Magnoli, Fernando Meirelles, Toniko Melo e Eder Santos. O debate terá entrada gratuita e os ingressos serão distribuídos duas horas antes do evento, que começa às 20h.