"Nome aos Bois" traz fatos inéditos sobre falcatruas dos irmãos Batista da JBS

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2018 14h44
Johnny Drum/Jovem Pan

Claudio Tognolli e Bernardino Coelho da Silva lançaram no “Pânico” desta quinta-feira (15) o livro “Nome aos Bois”, que conta as falcatruas de Joesley e Wesley Batista, donos da JBS. De acordo com os autores do livro, a obra traz fatos omitidos pelos delatores Ministério Público Federal.

“O livro conta as falcatruas e muitas que estão no livro eles não confessaram. Os crimes deles são muitos. Em 2010 eles precisavam pagar US$ 300 milhões e não pagaram. Como isso foi arranjado dentro do BNDES? Ninguém tem poder de fazer isso com dinheiro público e fizeram”, conta Bernardino.

Tognolli e seu parceiro afirmam terem conseguido documentos originais que comprovaram diversas notícias que foram difundidas na mídia. O jornalista da Jovem Pan ainda critica o atual jornalismo investigativo, que segundo ele trata documento como ponto de chegada e não de partida.

“Eu e o Bernardino nos complementamos nesse livro. Ele obteve documentos originais que comprovam notícias. Jornalismo investigativo virou publicar documento, isso precisa ser documento de partida, não de chegada”, diz.

O livro foi escrito com base nos inquéritos da Polícia Federal, nos laudos produzidos pela perícia técnica e na audição de dezenas de horas de conversas captadas pela PF em ações controladas, além da análise de dados obtidos pela quebra de sigilo dos envolvidos e de depoimentos dos acusados. Além disso, traz diálogos inéditos de Joesley, envolvendo autoridades dos três poderes e os políticos de vários partidos comprados com dinheiro sujo.

“Tem muita gente que precisa ir para a cadeia urgentemente. Tem que parar com o crime. Existe uma lei que sempre que alguém transgrede, tem punição para isso. O Brasil está na situação graças ao STF, não acredito nos pilantras que estão lá”, finaliza Bernardino.