"O humor está aí para quebrar barreiras", revela Rafael Cortez

  • Por Jovem Pan
  • 11/06/2015 13h59
Jovem Pan

Rafael Cortez, jornalista, músico e humorista do ‘CQC’, da Band, esteve no programa Pânico da Rádio na manhã desta quinta-feira (11) e comentou sobre as modificações que o programa vem fazendo, tanto de equipe quanto de conteúdo. Para ele, o público ainda está se acostumando com a substituição do apresentador Marcelo Tas pelo ator Dan Stulbach, mas é tudo “questão de tempo”.

“Agora as pessoas estão falando do nosso conteúdo e não mais da troca dos apresentadores. Os quatro primeiros programas foram bem difíceis de convencer o telespectador da nova fase, mas em breve eles acostumam”, disse.

Cortez, que se considera humorista pela prática e não pelo conceito, revelou que no Brasil as piadas têm que ser podadas, principalmente quando se trata da instituição família. “A gente pode fazer piada de tudo. Mas se mexer com a família brasileira as pessoas se revoltam! É só lembrar do caso do Rafinha Bastos com a Wanessa. Ele fez uma piada quando ela ainda grávida e sofre com isso até hoje!”, explicou, afirmando: “O humor está aí para quebrar barreiras”.

Em 2013, o jornalista se retirou da Band para apresentar dois programas, sem sucesso, na Rede Record, “Got Talent Brasil” e “Me leva contingo”, que saiu do ar em agosto do ano passado. Ele acredita, no entanto, ter sido mal aproveitado na nova casa.

“Não me arrependo de nada. Nem de ter saído do CQC e ter ido para a Record e nem de ter voltado para o CQC. Fui mal aproveitado na Record, mas está tudo bem, foi um processo. Eu queria ter somado, ter feito mais projetos, mas eles sempre foram muito categóricos e sinceros comigo”, contou.

Ainda falando da emissora, Cortez revelou que nunca foi cogitado para participar do reality show ‘A Fazenda’ no tempo em que estava “na geladeira”. “Nunca me cogitaram para isso e eu não iria nunca para a Fazenda. Não gosto de nenhum programa que tem a fama como finalidade e não como consequência”, concluiu.