Odilon Wagner entra na polêmica sobre Caio Castro: “ele devia ter vergonha na cara”

  • Por Jovem Pan
  • 21/02/2014 14h24
Jovem Pan

Uma participação de Caio Castro no Marília Gabriela Entrevista reprisada recentemente virou motivo de revolta para alguns representantes da classe artística. Isso por que, durante a conversa com a apresentadora, o ator, um dos jovens galãs da televisão mais populares da atualidade, afirmou que não se interessava por teatro nem literatura. Laura Cardoso, Ingrid Guimarães, Miguel Falabella, Maitê Proença e Pedro Paulo Rangel estão entre os profissionais da área que logo se posicionaram contra ele. E nesta sexta-feira (21) foi a vez de Odilon Wagner, convidado do Pânico

“Ele devia ter vergonha na cara. Se não gosta, pelo menos finge. Um ator não pode dizer isso. Concordo com a Laura [Cardoso], que falou que ele é ignorante. Não tem sentido algum. Não tem como uma pessoa que faz comunicação ou artes, seja ela qual for, falar uma coisa dessas”, disse. “Não tenho nada pessoal contra ele. É uma figura bacana. Só acho que hoje pegam um cara bonitão na rua e o colocam para virar ator. Por isso, poucos duram”, completou. 

Nívea Maria também esteve na bancada e foi outra que repreendeu a atitude de Caio. Para ela, ele deve aprender a ter consciência de que, sendo uma pessoa pública, tem que tomar mais cuidado com suas declarações. 

“A Maitê [Proença] usou uma palavra que eu concordo. Ele não é ator, é ‘desinibido’. Mas você tem que ter responsabilidade. Tudo que você fala pode se tornar uma polêmica. Ele ainda é jovem, muito imaturo”, afirmou. 

Odilon, de 59 anos, e Nívea, de 66, estiverem nos estúdios da Jovem Pan para divulgar a peça A Última Sessão, atualmente em cartaz em São Paulo. Ele assina a direção, e ela é uma das integrantes do elenco, que conta ainda com Laura Cardoso, Etty Fraser, Sylvio Zilber e Sonia Guedes. A história gira em torno de um grupo de amigos que têm entre 75 e 85 anos e se reúnem semanalmente para conversar e se divertir. A ideia, segundo ele, é fazer as novas gerações refletiram sobre a maneira com que enxergam as pessoas mais velhas. 

“Eu vi colegas mais velhos, atores excelentes, de primeira linha, deprimidos porque não estavam sendo chamados para fazer nada. Por que não tinham trabalho. Isso é complicado, escreve-se pouco para as gerações mais maduras, tanto no teatro como na televisão. Estão infantilizando a dramaturgia. Quantas vezes vemos uma história de amor entre um casal de 50 ou 60 anos? Não tem mais. Está tudo na faixa dos 30. Mesmo quando colocam pessoas mais velhas, as histórias são infantis. Esse é um dos motivos que me levaram a escrever a peça”, explicou. 

“É de utilidade pública. As pessoas vão assistir e percebem que nosso sangue ainda ferve nessa idade”, brincou Nívea em seguida. 

Durante a entrevista, eles ainda deram mais detalhes do espetáculo, relembraram os principais trabalhos de suas carreiras e comentaram o beijo gay protagonizado pelos personagens de Mateus Solano e Thiago Fragoso em Amor à Vida, última novela das 21h da TV Globo. Confira a íntegra no áudio. 

SERVIÇO – A Última Sessão 

Teatro Shopping Frei Caneca
De 16 de janeiro a 27 de abril
Quintas às 16h; sextas e sábados às 21h; domingos às 18h
Informações: (11) 3472-2229