Produtores duvidam em carreiras artísticas construídas na internet

  • Por Jovem Pan
  • 03/12/2014 14h02
Amanda Garcia/Jovem Pan

Os produtores musicais Arnaldo Saccomani e Rick Bonadio concordam que a democratização da internet não é o único fator necessário para construção de uma carreira musical consolidada. “Muita gente se acha artista porque tem um vídeo no Youtube”, criticou o responsável pelo estouro dos Mamonas Assassinas na década de 1990 em entrevista ao Pânico. E Saccomani completou: “Se o Justin Bieber não tivesse deitado na máquina (assinado contrato com uma gravadora) ele não teria estourado”.

Saccomani acredita também que a qualidade das músicas atuais é de responsabilidade da sociedade e não somente dos artistas. “O radio e a televisão são espelho da sociedade. Se a música está uma merda a sociedade está uma merda”, comentou.

O “pop-funk”, encabeçado atualmente por artistas como Anita e Naldo, deve ser o estilo musical em evidência nas próximas temporadas. A dupla, inclusive, foi alvo de críticas durante o programa. O primeiro por tentar se vender como o “Chris Brown brasileiro” e Anitta por tirar o “MC” da frente do nome e alegar ser eclética. “É como dissessem ‘ai, eu evolui’, mas elas deveriam manter as raízes”, afirmou Bonadio sem citar nomes.

Responsável pela produção do DVD de 20 anos de carreira de Mc Catra, Bonadio afirmou que o carioca é um excelente artista, “mas o que deu certo para ele foi a put*ria do funk”. Ainda na seara do Hip Hop, Saccomani considera Mano Brown, uma das cabeças dos Racionais Mc’s, seja o maior rapper do mundo. Valesca Popozuda também foi elogiada e classificada como “diva” por Saccomani.