Roberto Justus critica quarentena: ‘O maior erro foi fechar dessa forma a humanidade’

  • Por Jovem Pan
  • 02/06/2020 13h56
Jovem PanRoberto Justus participou do Pânico nesta terça-feira (2)

O empresário Roberto Justus criticou a quarentena imposta contra a Covid-19 no Brasil. Para ele, o isolamento como foi feito é prejudicial ao país.

“O maior erro foi fechar dessa forma a humanidade”, lamentou Justus. “Não sou contra o isolamento inicial, mas já passamos de 70 dias [de isolamento]”, continuou, lembrando que as taxas de isolamento social em São Paulo estão no patamar dos 50%. “Não é todo mundo que está isolado”, disse, em entrevista ao Pânico nesta terça-feira (2).

O apresentador de TV explicou que o Brasil deveria ter isolado apenas pessoas que estão no grupo de risco da doença, como idosos e portadores de doenças crônicas. “Essa doença não é tão grave para quem tem a saúde em dia, a imunidade ok”, defendeu. Ele disse que o país não deveria “deixar a economia ter o maior tombo da humanidade por causa do politicamente correto”. “Se fosse 30 anos atrás, não teria fechado como foi fechado.”

Apesar de discordar da política de isolamento adotada, Roberto Justus reconheceu a gravidade da situação. “A doença é séria, não tem cura, mas não tem dimensões tão catastróficas”, afirmou.

O empresário ainda contou que conversou recentemente com o governador de São Paulo, João Doria, sobre a pandemia. Ele disse que cobrou do governador a reabertura.

“Na minha opinião, ele errou. Falei isso pra ele”, contou. “Em vez de perder tempo com rodízio desnecessário, por que não estão planejando de uma forma coesa essa reabertura o mais rápido possível?”, relatou Justus sobre o papo com Doria, dizendo que o governador preferiu não discutir o assunto.