Ronaldo elogia “injustiçado” Galvão Bueno e critica Romário: “até papagaio fala”

  • Por Jovem Pan
  • 27/02/2014 15h07
Jovem Pan

Poucos assuntos dividem tanto a opinião pública atualmente como a realização da Copa do Mundo no Brasil. No time dos críticos está Romário, deputado federal que faz frequentes ataques ao projeto. No dos defensores, Ronaldo, integrante do comitê organizador. Nesta quinta-feira (27), este último esteve no programa Pânico e rebateu as críticas feitas pelo antigo companheiro de futebol, ressaltando mais uma vez que o evento pode trazer uma série de benefícios ao país. 

“Na real, até papagaio fala. Todo mundo fala. O Louro José fala todo dia de manhã (risos). Tem muita gente surfando na onda que vai perder a oportunidade de fazer algo maior e mais produtivo. Não falo do Romário especificamente, mas temos que encarar a Copa como uma grande oportunidade de crescimento para o Brasil. Vamos ficar com um legado enorme de obras, de infraestrutura”, disse. 

O ex-jogador afirmou também que acredita que a maior parte da população vai apoiar a Seleção Brasileira na competição. Para ele, nem mesmo as manifestações organizadas ao redor do país vão desviar muito o foco dos jogos – e o belo espetáculo promovido pelos torcedores nos estádios durante a Copa das Confederações é uma prova disso. 

“A torcida cantando o hino foi demais. A participação do povo foi animal. Dentro de campo, né. Fora dele foi animal também, mas de outra maneira. Acho que a torcida já está junto. Eu joguei a Copa das Confederações durante 20 anos e nunca tive um apoio popular como aquele. Foi emocionante”, disse. 

Além de trabalhar como organizador do evento, Ronaldo participará da transmissão dos jogos na TV Globo como comentarista da equipe comandada por Galvão Bueno. Durante sua participação no programa, ele ainda falou sobre essa nova empreitada e rasgou elogios ao locutor. 

“O Galvão é um fenômeno da televisão. Ele é um dos caras mais injustiçados do país. Ele fez as transmissões da Copa das Confederações em meio a manifestações, quebra-quebra, conduzindo tudo. Jogo, jornalismo, publicidade. Dá o espaço deDescontraído, o “Fenômeno” elogia Galvão Bueno e critica Romário. Confira! cada um certinho. E tudo com um ponto no ouvido! Eu não consigo falar quando tem alguém falando no ponto. Perco o raciocínio. Ele faz tudo junto”, declarou. 

Outra figura bastante elogiada pelo ex-jogador foi o atual técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari. Ao relembrar como era trabalhar ao lado do treinador, no entanto, assumiu que ele não é uma pessoa muito tranquila. 

“Ele é bem chato no treino. É exigente, pega no pé, gosta de disciplina. Antes de trabalhar com ele, eu nunca tinha treinado de caneleira, por exemplo. Ele obriga todo mundo a colocar caneleira e meião até o joelho. Tem umas coisinhas bem chatas. Mas é um cara fantástico. Acho grandiosa a maneira com que ele fala da Copa, a confiança que ele passa. Ele fala o que o povo quer ouvir, que somos os melhores desde sempre e, jogando em casa, temos obrigação de ganhar”, declarou. 

Ronaldo foi questionado, por fim, sobre o episódio recente em que um grupo de torcedores do Corinthians invadiu o Centro de Treinamento para protestar contra o time. Ele repreendeu duramente este tipo de atitude e contou que passou por situação parecida em 2011, quando ainda jogava na equipe e perdeu para o Tolima na pré-Libertadores. 

“Eu reprovo qualquer ato violento no futebol. Eles se acham no direito de quebrar uma instituição só porque o time não foi bem dentro de campo. São bandidos, têm que ser punidos. A legislação tem que funcionar, não podemos continuar vendo isso no futebol”, disse. “No caso do Tolima, sofremos muito. Até me seguiram por uns dias depois do jogo. Tive que juntar uma turma para ir lá falar com eles”, completou. 

Sua relação com a imprensa, o projeto que ele desenvolveu no Corinthians com Andrés Sanches e a disparada de Neymar no topo da lista dos melhores do mundo estão entre os outros assuntos comentados pelo convidado durante a entrevista. Confira a íntegra no áudio.