“Sempre fui contra o Lula, mesmo quando eu era trotskista”, revela Reinaldo Azevedo

  • Por Jovem Pan
  • 20/03/2015 13h19
Amanda Garcia/Jovem Pan

O comentarista político e apresentador de Os Pingos Nos Is, Reinaldo Azevedo, é conhecido por ser crítico ao atual governo petista. Entretanto, o que muitos não sabem, é que o jornalista já foi de esquerda.

Durante visita ao programa Pânico, nesta sexta-feira (20), ele explicou sua debandada para a direita – que ocorreu devido a sua discordância em apoiar a Argentina na retomada das ilhas Malvinas, em 1982, contrariando a Convergência Socialista. Ele ainda reforçou que nunca foi com a cara do ex-presidente de origem sindical. “Sempre fui contra o Lula, mesmo quando eu era trotskista. Eu achava que ele era pelego”, falou durante o Pânico desta sexta-feira (20).

Reinaldo Azevedo é o auto-declarado inventor do termo “petralha”, mas explica que o adjetivo tem uma finalidade específica para utilização. “Não é todo petista que é petralha. Petralha é quem é petista e justifica o roubo de dinheiro em prol de uma causa”, explicou, acrescentando que esse causa seria a distribuição de renda. “É o ‘rouba, mas distribui’, uma variável do ‘rouba mas faz'”, lembrou da célebre frase que eternizou o ex-governador paulista Ademar de Barros.

Durante entrevista à equipe de Emílio Surita, “Tio Rei”, como é chamado pelos fãs de seu blog, reconheceu que as esquerdas sempre foram os responsáveis pela organização de manifestações, a exemplo da campanha Diretas Já! e os atos que culminaram com a saída de Fernando Collor de Mello da presidência.

Ele vê, porém, mudança após os atos de domingo passado (15) quando milhões de pessoas se rebelaram contra o governo de Dilma Rousseff. “Quem está na rua agora não é esquerda e nem nenhum grupinho organizado”, disse acreditando isso ajuda a formar uma “consciência generalizada” na população.

Diante das denúncias de corrupção do atual governo, o jornalista acredita que a solução para a Petrobras seria uma só: privatizar. “Tem que vender essa porra da Petrobras. A Dilma tem que anunciar que vai privatizar em 2017 e as ações vão disparar e ela vai vender lá em cima”, aconselhou. “Uma corrupção deste tamanho só existe quando se tem um Estado deste tamanho”, finalizou o fã de House Of Cards.