Sertanejo Lucas Lucco brinca sobre assédio das fãs: “não cabe mais calcinha em casa"

  • Por Jovem Pan
  • 10/04/2014 14h10
Jovem Pan

Se você ainda não ouviu falar de Lucas Lucco, não se preocupe, em breve vai conhecê-lo. Seguindo a onda de Luan Santana e Gusttavo Lima, o cantor e compositor mineiro é atualmente uma das maiores promessas do sertanejo universitário. Com apenas um ano e meio de estrada e um único CD lançado (Tá Diferente, distribuído pela Sony), começa agora a estourar nas rádios nacionais e internacionais e já tem inclusive uma legião de fãs que o acompanha. Em entrevista ao Pânico nesta quinta-feira (10), ele falou sobre esse início de carreira e comentou o assédio que tem recebido. 

“Não está cabendo mais calcinha em casa de tanto que jogam no palco. Tenho uns cinco sacos de lixo grandes com elas guardadas”, brincou. 

O artista costuma ser cobiçado não só por suas músicas provocantes e românticas, mas também pelo visual. Aos 23 anos, ele, que já atuou como modelo, não sai de casa sem o topete penteado para trás e as roupas customizadas por ele mesmo (preferencialmente as que deixam à mostra os braços fortes e tatuados). Mesmo assim, recusa o rótulo de “metrossexual”.

“Meu estilo é assim, nunca mudei nada em mim por ter me tornado artista. Mas não sou tão preocupado assim. Não faço escova, coloco o cabelo para trás e pronto. Também nunca fiz a sobrancelha na vida”, garantiu.

A carreira de Lucas começou a estourar em 2013. Após trabalhar como modelo e vendedor, ele, envolvido com a música desde sempre graças ao pai radialista, decidiu colocar alguns vídeos caseiros na internet. Um deles foi visto por um empresário, que resolveu investir profissionalmente. Foi quando lançou Princesinha, primeiro videoclipe oficial, que conseguiu milhões de visualizações em poucos meses. No início de 2014, lançou também o vídeo do hit Mozão, atual música de trabalho. 

“Sempre gostei de fazer roteiros, desde o primeiro videoclipe. Como gosto de teatro, também vejo a oportunidade de atuar neles. E sempre quis fazer coisas mais sociais, aproveitar que estou falando para tanta gente. Por ter um público feminino muito grande, quis retratar no Mozão, além do que a música quer dizer, a importância do autoexame do câncer de mama. Quis dizer que ele não está necessariamente ligado à morte. Sou padrinho de dois hospitais do câncer pelo Brasil, pesquisei, falei com pacientes, médicos. Achei que tinha tudo a ver”, explicou. 

Ao mesmo tempo, ele se prepara para lançar o primeiro DVD da carreira, que foi gravado em Patrocínio, sua cidade natal. 

“Todo mundo achou que eu o gravaria em Goiânia. Mas era aniversário da minha cidade, foi uma forma de presentear o pessoal de lá. Eu tinha vontade de gravar com meus amigos, meus familiares, com quem me viu crescer. E foi o pessoal todo da região, foi uma festa bem bonita”, contou. 

Durante a entrevista, ele falou mais sobre sua vida no interior de Minas, revelou quais são seus ídolos e influências musicais e negou que esteja tendo um affair com a ex-panicat Babi Rossi. Confira a íntegra da entrevista no áudio.