Tato Gabus Mendes condena festival que boicotou filme sobre o Plano Real: “é censura”

  • Por Jovem Pan
  • 01/06/2017 14h20
Johnny Drum/ Jovem Pan

Em meio à atual crise política e econômica do país, Tato Gabus Mendes e Ricardo Rihan decidiram rever o passado do Brasil e uma de suas “maiores conquistas positivas” nos últimos anos. No Pânico na Rádio desta quinta-feira (1), o ator e o produtor falaram sobre “Real – O Plano Por Trás da História” e condenaram as críticas que o filme recebeu mesmo antes de seu lançamento.

O longa foi pivô de uma polêmica ao causar o adiamento do 21º Cine PE, festival de Pernambuco, que se recusou a exibir o filme. Ao lembrar do caso, Tato condenou o posicionamento do evento: “que democracia é essa?”.

“Isso é censura e atitude antidemocrática”, emendou. “Assistam primeiro para criticarem depois”, falou. Ricardo Rahin apoiou o ator e declarou: “no fim, boicotes são homenagens”.

Considerado um filme “de direita”, Tato e Ricardo negam que “Real” seja partidário. “O filme não é de esquerda ou de direita, é sobre o que tinha que ser feito para o país prosperar. O Plano Real é obra de uma equipe econômica e não de um partido político”, defendeu o produtor.

“Quem não viu o filme fala que ele é de direita e quem vê percebe que ele é apartidário. Não é para louvar partidos políticos. Pelo contrário, ele é crítico ao PT e ao PSDB”, concluiu Ricardo.

Definido como um “thriller político”, “Real” conta a história da elaboração do Plano Real com detalhes desconhecidos até mesmo para os brasileiros que viveram a transição e procura “combater a narrativa de que ele quebrou o país”.

Durante as gravações do longa, a equipe passou por uma situação inusitada ao receber uma ligação anônima ameaçando a produção. “Nos ligaram oferecendo dinheiro para não fazer o filme”, lembrou Ricardo aos risos.

Apesar de tratar de um tema que não atrai muitos brasileiros, Tato garantiu que o filme não é de difícil compreensão. “É fácil de entender até para quem só ouviu falar [do Plano Real] ou não acompanhou”, afirmou.