"Vamos dar sapatada na politicada que não vale um tostão", garante trio de "Os Pingos nos Is"

  • Por Jovem Pan
  • 27/06/2017 14h26
Rodrigo Ramon/ Jovem Pan

O novo “Os Pingos nos Is” vai chegar afiado e sem poupar “sapatada” nos nomes envolvidos em escândalos políticos. No Pânico na Rádio desta terça-feira (27), Joice Hasselmann, Felipe Moura Brasil e Claudio Tognolli, que formam o trio de apresentadores, mostraram seus conhecimentos aguçados e deram uma palhinha do que está por vir.

“Vamos fazer um programa ágil para dar sapatada na politicada que não vale um tostão”, garantiu Joice. “Cada um dos envolvidos na Lava Jato será criticado de acordo com o que merece, seja Lula, Aécio ou Temer”, emendou Felipe.

Joice ainda falou que a bancada promete esquentar durante o programa. “Temos uma sinergia, mas também diferenças de opinião e um jeitão diferente de pensar algumas coisas. Vamos debater todos os temas porque tudo é política”, adiantou.

Além de discussões acaloradas sobre os últimos acontecimentos políticos, Hasselmann, Moura e Tognolli também vão trazer notícias exclusivas ao longo do programa. “Vamos colocar fervura na fervura não só nos nossos comentários, mas em informações que a gente colhe em sonoras e em sonoras exclusivas”, contaram.

E antes mesmo de estrearem o “Pingos”, o trio fez suas análises sobre o atual cenário político brasileiro. Os três foram unânimes em concordar que Michel Temer tem apenas uma saída se quiser se manter no cargo de presidente: melhorar a economia e comprar deputados contra a denúncia de Janot.

“Temer tem que trabalhar duas coisas: abrir o bolso dele para comprar deputados e arrumar a economia. E quando digo arrumar a economia é melhorar o bolso do brasileiro. Se ele conseguir esse milagre, ele terá uma sobrevida”, apontou Tognolli.

Joice ainda completou ao avaliar que Temer conta com uma “ajuda” do povo brasileiro para se manter no cargo. “Ele tem um trunfo do povo, que está com preguiça de ir para a rua e só faz protesto virtual. Isso para eles é uma beleza”, falou.

O trio ainda afirmou que é cedo para saber se o presidente irá se manter no cargo mesmo com a denúncia de Janot. “A primeira denúncia vai ser rejeitada porque tem o que já sabemos. Precisamos ver como a segunda denúncia vai chegar no Congresso para saber se ele fica ou não até o final’, explicou Joice.

Tognolli e Felipe também discutiram a “tendência política” de Janot. “Não tenho dúvida de que a politização dele é anti-peemedebista e isso é interesse político porque ele quer ser governador de Minas Gerais”, entregou Tognolli. “A delação premiada de Palocci vai entregar se a PGR está protegendo o Lula ou não”, completou Moura.

“Os Pingos nos Is” estreia na próxima segunda-feira, dia 3 de julho, às 18h na Jovem Pan.