"Você não protege o cidadão, mas justifica o bandido", decreta autor sobre desarmamento

  • Por Jovem Pan
  • 02/03/2016 14h07
Jovem Pan<p>Bene Barbosa participou do debate sobre desarmamento no Pânico desta quarta</p>

No Brasil, são 60 mil homicídios por ano. O dado alarmante faz pensar sobre as causas da violência. Para o defensor do fim do Estatuto do Desarmamento, Bene Barbosa, autor do livro “Mentiram para Mim sobre o Desarmamento”, que esteve no Pânico desta quarta-feira (02), a questão é polêmica.

O Presidente do Movimento Viva Brasil, associação sem fins lucrativos, acredita que desde a implantação do desarmamento “as coisas não mudaram”. A lei, criada no fim de 2003, tinha por objetivo a redução do número de homicídios no Brasil.

Para o especialista em Segurança Pública, o problema do país não é a violência, “mas sim a criminalidade, isso que precisa ser combatido”.

Sobre esse ponto, Bene pontua a massificação do discurso de não reação aos assaltos. “É perigoso, já que você não protege o cidadão, mas justifica o bandido”, define.

Na opinião do autor, a melhor solução seria uma atitude vinda do governo, além de uma melhora da Segurança Pública. Entretanto, “O sistema todo é falido”, decreta.

Claramente a favor do porte legalizado de armas, Bene acredita que o cidadão deveria ter a liberdade de escolha, além de ser implantada uma política de testes psicológicos e de cursos de tiro.