Peemedebista é contra criminalizar caixa 2: “cadeia não é coisa para gente de bem”

  • Por Jovem Pan
  • 28/11/2016 06h33
Brasília - O ministro da Saúde, Marcelo Castro e o governador do DF, Rodrigo Rollemberg, participam de ação contra o mosquito Aedes aegypti no Centro de Ensino Fundamental Agrourbano Ipê, localizado no Riacho Fundo (DF) (José Cruz/Agência Brasil) José Cruz/Agência Brasil Ministro da Saúde

Com ou sem anistia, o assunto caixa dois em campanha eleitoral é polêmico e divide opiniões no Congresso. Parte dos políticos quer criminalizar o caixa dois e outra parte quer criminalizar a partir de agora e anistiar os que já praticaram o caixa dois; há ainda os que querem anistiar o caixa dois.

O deputado Marcelo Castro (PMDB-PI) trabalha para evitar até mesmo a criminalização do caixa dois. “Ir para a cadeia? Eu acho uma coisa muito grave. Se dependesse de mim nós ficaríamos no plano eleitoral, perda de mandato, suspensão de direitos políticos, seja o que for. Agora cadeia está na nossa consciência que é para bandido, não é coisa para gente honesta, para gente de bem. Equiparar caixa dois de campanha, que você fez prestação de contas e por um lapso errou e or para a cadeia por isso, eu acho que não é adequado”, disse.

Os deputados e senadores agora trabalham sob pressão do Ministério Público e da opinião da sociedade. A reação nas redes sociais fez deputados da comissão especial mudarem por quatro vezes o projeto de medidas contra a corrupção.

Como a lei Ficha Limpa, aprovada contra a vontade parlamentar, os deputados e senadores estão sendo levados a aprovarem as medidas de combate à corrupção.

*Informações do repórter José Maria Trindade